VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Moeda–Poesia

MoedaMoeda

Gira, gira sem quedar

Sobre o mundo o seu poder.

Abre portas se brilhar,

Vista alegre de se ter.

Corre e muito a espalmar,

Ouro e cobre a alumiar;

Vil metal a se prender.

Sofre, sofre ao se largar;

Sob a terra a se esconder.

Lama, lodo a inundar;

Cara a cara corromper.

Limo e lata a se lixar,

Poço, água a naufragar;

Pede ajuda a quem puder.

Roda, roda, faz vibrar;

Pede paz ao seu viver.

Para o homem cobiçar

Doce reino de entreter;

Casa, lar organizar.

Brinca e chora ao projetar;

Sente, sabe se enganar.

Nenhum comentário: