VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Cena de Casa–Poesia

Cena de casa

Quero limpar o meu armário.

Guardo o capote e os meus sapatos,

Velhas cuecas para cá;

Mantas de inverno para já,

Uso a peça no casaco.

Lavo coberto, o empoeirado;

Seco sem pressa, com cuidado;

Dobro um quadrado, bem domado;

Largo na cama, enfeitado.

Pronto, está cá. Lindo e engomado.

Quarto arrumado, organizado;

Ar renovado, arejado;

Só na janela, debruçado;

Solta um bocejo, está cansado.

_Valha-me amor, o meu obrigado.

Grata ao rebento, filho amado.

Obra repleta de cuidado,

Casa de mãe. Aconchegado,

Graça completa de um traçado

Mágico, lógico e acabado.

Nenhum comentário: