Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Do Mundo Virtual ao Real / Reflexão

Do Mundo Virtual ao Real / Reflexão

clip_image002

Esse é um problema novo. Todos nós conversamos por meio de blog e de interações virtuais diversas. É uma interação agradável, cultural e, acabamos por mostrar como somos na realidade, ao menos em parte.

Pode acontecer de um de nós, por exemplo, ao irmos ao supermercado encontrarmos o nosso conhecido virtual, que se identifica e posta algum texto na sua frente para mostrar que é a mesma pessoa com a qual você conversa pela internet.

O mundo virtual é diferente do mundo real, no mundo virtual, as nossas qualidades e defeitos existem, mas são evitadas por todos os participantes.

Não, não quero ser política, ou usar de argumentos válidos para a internet ao discutir essa interação. As interações com amigos na internet acontecem de duas maneiras: na primeira, você conhece a pessoa na vida real e prolonga o bate-papo no mundo virtual; na segunda você gosta do bate-papo no mundo virtual que o caminho é o do mundo real.

Quando acontece tal situação, não raro nos sentimos embaraçados, não sabemos por que o outro age da maneira que age, mesmo sabendo que se trata de pessoa de bom caráter. Um é extrovertido, o outro é introvertido e mais isso e mais aquilo, somos imperfeitos. A estruturação da vida de cada um pode ser diferente, assim num grupo de internautas temos casados (as), solteiros (as), divorciados (as), farristas, o que são condições do ser humano, mas a afetividade é real e a amizade também.

Por outro lado, as pessoas envolvidas nessa transição do virtual para o real são cobaias de si mesmas, não se pode acusar o mundo virtual pela vontade de trazer alguma amizade para o mundo real, não somos máquinas prestidigitadoras e também não significa que somos pessoas com carência afetiva; significa sim que as conversas virtuais por período prolongado de tempo valeram a pena, significa que rimos juntos, resmungamos juntos e discutimos em grupo, mas dentro de uma ética e lisura invejáveis.

Também significa que ao mundo real essa ética e lisura, invejáveis, serão cobiçadas por todos os demais presentes na nossa vida real, regra que vale para todos.

Todos tem que estar cientes dessas diferenças, que vindas ao mundo real, serão óbvias, deixando a todos outra vulnerabilidade, que é a vontade de conhecer o outro, enquanto que as relações pessoais de cada um os conhecem muito, e a partir do momento em que as relações virtuais e reais se encontram na realidade a interação será real para todos os relacionamentos que mantemos, a menos que se encontre outra saída para uma situação dessas.

Talvez, começando do zero, ou seja, apresentações formais para depois a convivência virtual pública, se bem que eu duvide que tal atitude possa funcionar adequadamente. Sei que amizade não é brincadeira na vida de ninguém, todos gostam de estar num grupo de amigos, aliás, penso que amizade é a saída para tal situação, independentemente do que tenha sido dito no mundo virtual.

Sinceramente não é atitude que aconselhe para jovens, não é de simples solução e é proibitiva para os arroubos da juventude, nesse mundo que já tem as suas complicações para todos os viventes. É o que acontece todos os dias, pois no âmago de cada um de nós, queremos pessoas reais para conviver e, o virtual, em princípio, é brincadeira.

Eu e as minhas reflexões, mas espero que cada um pense e decida o que é melhor, como pode ser bom, ou não, para a vida de cada um de nós, embora esse texto tenha sido pensado para os mais jovens.

Assunto para todas as famílias com todas as implicações possíveis na vida de todos os blogueiros.

Um pouco de polêmica não faz mal a ninguém.

Um comentário:

Ivone disse...

Bom dia Yayá, amei ler, gostei do jeito que abordou a situação, vida real e vida virtual, na real nem sempre as pessoas são aquilo que dizem ser, as diferenças estão no olhar,o olhar diz tudo, sinto a alma das pessoas olhando nos olhos delas, mas têm algumas que não nos olham nos olhos de jeito nenhum, por que será?
Timidez? Talvez?!
É,ainda estou pensando no que li aqui, vida real ou virtual?!
Acho que na vida virtual se fantasia a respeito das pessoas e na real, é real, pronto, ama-se ou deixa-se de amar?!
Nossa, tem assunto para mil indagações!!!
Abraços Yayá!