VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 19 de março de 2014

A Dois

A Dois

clip_image002

O casal, chateado pelos contratempos que tiveram durante o dia, dizem um ao outro:

O marido pediu à mulher que ela contasse sobre algum assunto que saísse do problema da goteira do apartamento de cima, cujos pingos de água terminavam na lavanderia do apartamento.

_Fala qualquer coisa. Qualquer assunto que me distraia.

A mulher, sem saber se o assunto iria ou não distrair o marido, contou a curiosidade do dia.

_Eu não seu se é sorte ou se algum anjo está guiando a situação, mas está acontecendo algo muito engraçado comigo. A cada sugestão onde alguém tenta me convencer a fazer algo de que eu sinceramente não gosto, parece que alguma coisa acontece e muda a direção da conversa e as discussões sobre o assunto. Foi divertido quando a Joana estava a me convencer a pintar os cabelos de marrom e o quadro da parede despencou, caiu sobre o vaso de flores, que se partiu e esparramou-se pelo chão do escritório. Eu sei que a Joana não gosta de mim, mas ao invés de argumentar com ela, ajudei-a com os cacos do vaso.

O marido olhou espantado para a mulher e confirmou se a Joana era aquela conhecida da qual ela havia se afastado há alguns anos porque a amizade se tornou desagradável.

A mulher confirmou ao marido que era aquela mesma, agora muito amiga da colega de escritório.

Ele pediu à esposa que contasse mais dessa história.

_É a segunda vez que acontece tal coincidência. Da primeira vez, ela tentava me convencer a experimentar um creme hidratante enquanto retocávamos a maquiagem. Ouvimos um barulho e saímos do espelho às pressas para ver o que tinha acontecido. A escrivaninha se desmontou como que por mágica. A escrivaninha se desmontou e não quebrou. A tela do computador foi o único objeto quebrado.

O marido se animou e perguntou o que ela achava que essas coincidências significavam.

_A Joana está sendo impedida de ser má por essas coincidências, é muito engraçado. Eu não preciso dizer nada a ela, é como se eu estivesse sendo protegida por um anjo.

O marido, distraído, ainda perguntou por que é que a mulher achava que o anjo estava a protegendo das investidas da Joana.

A mulher parou de rir.

_ Joana está querendo forçar uma amizade que não existe mais. Eu não sei o que ela fez, mas o anjo deve saber o que faz. O fato é que eu não preciso me esforçar para ser gentil e me afastar ao mesmo tempo. O anjo está fazendo tudo por conta dele. Esse anjo é quem está dizendo à Joana para não tentar voltar a ser minha amiga. Se eu fosse ela, eu não tentaria mais, mas ela não acredita em anjos.

O marido se distraiu com a história e perguntou como é que ela achava que essa história terminaria.

_Bom, querido, eu estou feliz com essa intervenção do anjo e tenho a impressão de que ela terá que desistir dessas tentativas para o bem dela. É curioso porque eu me afastei dela, mas o bem universal que é a boa energia, não se afasta de ninguém. Não serei curiosa de querer saber o que foi que ela fez e pensou que deixou o anjo a ponto de tomar atitudes contra ela, mas que essa intervenção não é simplesmente humana, não é.

O marido disse que, se os fatos estavam daquele jeito, então havia porque acreditar numa solução para os problemas pelos quais atravessavam.

A mulher concordou com ele.

Naquela noite dormiram tão bem quanto os anjos permitiram, em paz com o futuro.

3 comentários:

Luiz Cidreira disse...

Eu tenho fé no meu anjo protetor, e além do anjo tenho mais adiante um arcanjo que é Miguel, também protetor do meu falecido pai.
Boa a narrativa!
Abraço

✿ chica disse...

Belo papo na hora de dormir e que bom que existem anjos, os verdadeiros! bjs,chica

Célia Rangel disse...

Inteligente maneira de "NO STRESS" e que os Anjos continuem na ativa!
Abraço.