VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

A Sobrinha

A Sobrinhaclip_image002

Uma senhora finíssima se apaixonou por um sambista da União da Ilha do Governador. O sambista sentiu-se envaidecido e dava bola para ela. Ela poderia trazer doações para a escola de samba com os contatos influentes do meio onde freqüentava.

Um sobrinho homem a levava aos ensaios e se divertia enquanto a tia flertava com o sambista.

Aconteceu que esta senhora, chamada Maria Luíza do Carmo, foi convidada para participar do desfile. Ela disse que iria se o seu sobrinho a acompanhasse. O João Victor, seu sobrinho, pensou em desfilar com a tia, mas se encantou por uma passista que estava noiva e por pouco não se meteu em briga com o noivo da cabrocha.

_Eu venho aqui para acompanhar a minha tia, que não é mais moça e quer sambar. A sua noiva é bonita, mas eu sou um homem de bem.

O noivo disse:

_É bom que seja verdade. Eu sou malandro e não se meta com a minha mulher.

Desde então a Maria Luíza não foi mais aos ensaios da escola de samba e conversava com o sambista em outros lugares, o que a deixava triste e o que fez o sambista se ajeitar com a cabrocha do morro. Eles eram conscientes de que amor proibido na meia idade não fazia sentido.

A família era grande e enquanto estava essa confusão familiar na escola de samba, a Celina, uma sobrinha, filha de outro irmão que não o pai do João Victor, levava a vida de jovem com os seus amigos e distante dos outros familiares.

Quinze dias antes do carnaval, Celina foi arrumar-se no salão pensando que o mesmo estaria fechado no feriado. Chegando ao salão onde era freguesa habitual, a cabeleireira avisa que a Brigite, um cabeleireiro travesti que vive de bom humor, quer falar com ela.

A Celina na hora chama a Brigite:

_Ô Brigite, quer falar comigo? Então diga lá.

_Você é sobrinha da Maria Luíza?

_Sou. Ela é minha tia.

_Quer desfilar de destaque na escola de samba?

Celina começou a rir pensando que diziam que ela, Celina, é que aprontava. Celina, no entanto, não era de escola de samba e não tinha ensaiado.

Brigite disse que destaque não precisava de ensaio e que a escola forneceria a fantasia. Era subir no carro alegórico e ganhar um cachê.

Celina pensava na tia e imaginava-se como destaque da escola. A tia que se entendesse com o samba sem precisar da sua ajuda, mas a tia não ficaria sabendo do convite no que dependesse dela. Era uma questão de respeito à tia.

_Desculpe, Brigite. Eu no samba não vou. Eu vou a festas, é fato, mas sou dura no molejo e no requebrado. Não dá, vou prejudicar o desfile de vocês e abaixar a nota do desfile. Seria maldade minha desfilar.

Voltou do salão feliz com o convite e no dia do desfile foi assistir Brigite desfilar.

28 comentários:

Loivarice disse...

Bom dia Yayá, sua presença é luz, obrigada pela sua visita, linda historia do amor é burro, amei bjs de muita luz...

Ivone Poemas disse...

Ah!!! Eu pensei que a tia fosse desfilar, imagine só!!!
Acho muito bons teus textos, há uma certa ironia bem disfarçada, isso é para pessoas que pensam e muito,mas que sabem pensar, você sabe pensar!!! Parabéns!!!
Eu sei pensar, mas às vezes prefiro sentir!
Sou pisciana, rsrs tem gente que até me diz, "você não percebeu a moral da estória?" eu digo é mesmo, agora percebi, mas eu havia percebido, mas preferi não levar para o lado irônico!!!
Você pode publicar em livros, não pesastes nisso ainda?
Pense!!!
Ivone
Meus blogs:
"poemas sem peias" e levitar em brancas nuvens"

Zil Mar disse...

passo para lhe agradecer...

vc é uma fresta de luz nos meus dias que estão bastante cinzas....


deixo meu carinho....


Zil

marlene edir severino disse...

Yayá, querida,

Agradeço o selo e apesar da tentativa, não consegui pegar...

Explique-me como se faz isso (por e-mail e desculpe minha pouca prática...)

Beijo, amiga!

marlene edir severino disse...

Yayá, querida,

Agradeço o selo e apesar da tentativa, não consegui pegar...

Explique-me como se faz isso (por e-mail e desculpe minha pouca prática...)

Beijo, amiga!

ANALUZ disse...

Yayá, gostei mesmo da história, história de amor que marcou dentro!!

beijos e que Deus esteja sempre com você

*Patricia* disse...

Um texto bem real, ainda bem que a sobrinha teve bom senso e não criou maia confusão para a tia. gostei.

lucidreira disse...

É nessas estórias de escola de samba sempre tem intrigas entre passistas e cabrochas, é uma bom conto, pena que a tia não iria desfilar.
E nelas sempre tem um conflito amorosos, parabéns.
Abraço

Simone MartinS2 disse...

Boa noite...passei para deixar-te um forte abraço e bjin...fique com DEUS!

Adriana Vargas de Aguiar disse...

Uma linda história de amor em tempos em que este encontra-se fora de moda, no entanto, me conservo na modéstia de sentir.

Confira os livros da promoção de setembro - serão 16, só para vocês! Quanto mais comentarem o blog, mais chances terão de ganhar, pois o sorteio será feito através dos números de comentários; trazendo mais alguém para fazer parte de nosso quadro de seguidores, aumenta as suas chances em ganhar, pois se esta pessoa for sorteado, você, como indicador, levará também um livro!

AFRICA EM POESIA disse...

Lindo o que li
....
Um livro é sempre um passo em frente na nossa vida.
Este meu livro tem um sabor especial.
é o meu mimo às crianças que diariamente comigo estiveram e estão nas escolas por onde passo.
Coloquei nos contos, um encantamento especial espero que entre no vosso coração.

Um beijo

Flor da Vida disse...

Amada amiga, estou radiante de felicidade em poder estar novamente aqui com você e ter o prazer de ler teu belo e bem elaborado texto!
Aplausos mil pra ti!!!

Tua amizade tão pura
Ilumina meu céu...
Acorda a aurora, faz minha vida raiar
Leva embora a tempestade
E meu Sol volta a brilhar!

Beijos
Suelzy

Ma Ferreira disse...

Yaya..passei pra deixar um beijinhoç.voltarei pra ler com calma..bj

Severa Cabral(escritora) disse...

Oi minha querida amiga!
Texto que nos traz uma suavidade nas entrelinhas...
Bjssssssssssss

Amor feito Poesia disse...

Tua presença é constante
a saudade permanente;
vejo-te nas estrelas
sinto a tua luz...

Marisa de Medeiros

Amor & Paz prá voce! M@ria

Vera Lúcia disse...

Yayá,
Você sempre espirituosa em seus contos.
Muito leal esta sobrinha da Maria Luiza.
Gostei.
Beijos.

valquiria silveira disse...

Quantas vezes estamos tristes, desmotivados, meio perdidos ou até estamos passando por algum período de muito sofrimento. Coisas assim acontecem com todos, mas tenho algo a dizer para você. Não desista.Peça ajuda a Deus para que lhe guie e de sabedoria, porque Ele pode te ajudar quando você estiver triste e desmotivado. Peça a Ele para te dar mais força para você agüentar esse período difícil e para que não desista. Vamos, sei que você consegue. Fale com Ele.Estou em mudança em busca de meus sonhos vou ficar um tempo afastada mas volto logo. Deus abençõe vc bj no coração!

Bergilde disse...

Olá Yayá!
Que bom voltar aqui após as férias e ler essa história bem humorada mas também real,grande abraço daqui!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Sobrinho pra cá, sobrinha pra lá, é no que dá, confiar hahaha...
Você, tá me saindo uma grande cronista diária, tá difícil "ficar em dia" com as suas criativíssimas produções...todas, para sérias reflexões, mesmo hilarias, gostosas e leves!
Beijos, Yaiá
Lúcia

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

Ela deveria sambar, se dar com sinceridade , mas como dondoca preferiu...

Artes e escritas disse...

Ediney, com tanta gente pagando para ser destaque na escola de samba, você vem dizer que a Celina é cheia de nove horas? :))) Um abraço a todos vocês, Yayá.

Aclim disse...

Olá querida, não gosto de carnaval, mas que importa rendeu um ótimo conto. Abraço

Armando Pinto disse...

Mais um bonito conto, uma história bem encantadora, que dá aspecto de ter seu quê de real.
Por um comentário acima, também penso que deveria pensar em alargar horizontes com um livro, para ficar.
E continuo, assim, a passar sempre aqui, por dar gosto! Gostei.

Peônia disse...

Post bem espirituoso!
Beijo querida!

Severa Cabral(escritora) disse...

Passando por aqui para te convidar para dar uma passadinha no blog do meu amigo e ver o acróstico que Regininha fez prá ele.Deixa teu comentário lá para ela se sentir feliz.É uma menina que precisa do nosso incentivo para ver se aparece alguém que dê força para ela escrever seu livro.
http://pedrofransilva.blogspot.com

BRISA disse...

Boa Noite
Todos os anjos passeiam pela noite
Soprando-lhe sonhos lindos vigiando
teu sono... E eles acariciam tua pele
pra curarem todo seu cansaço,
Sussurram lhe palavras de coragem
pra te ajudarem a ter forças,
Conduzem teus pensamentos
para planejar tuas tarefas...
Jorram-lhe muita paz em tua alma
para enfrentar tua missão;
E quando o dia nasce
eles adentram teu peito
E ficam bem quietinhos
cuidando do teu coração.
_Sirlei L. Passolongo_
brisa

Artes e escritas disse...

Severa: Não se pressiona ninguém a escrever livros , mesmo o livro é uma particularidade e esse seu amigo deve saber o que quer. Fica para outra oportunidade. Um abraço a você, Yayá.

Nel Santos disse...

Obrigada pelo carinho Yayá!!!

Abraço apertado pra ti, amiga!