VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 21 de agosto de 2011

Eu Não Acredito

Eu Não Acreditoclip_image002

Anabela veio conversar com a neta e não conseguia parar de rir. A neta, Deise, que estudava fora da cidade de São Paulo, feliz em ver a avó, sorridente pergunta:

_Vovó, gostei da surpresa que você me fez. Visitar-me toda contente e dizer que veio para ficar comigo uns dias, que mais posso desejar?

Anabela pediu para se sentar.

_Querida, você faz um chá para mim?

A neta correu para a cozinha e acendeu a chaleira enquanto a avó respirava fundo, recostada em uma almofada.

Vem o chá em uma pequena bandeja acompanhada de biscoitos leves.

_Deise, sente-se ao meu lado, precisamos conversar.

A moça senta-se.

_Mamãe está bem? E papai?

Anabela disse para se acalmar que os dois estavam com a saúde em dia.

A neta pressentia que algo não estava bem, apesar das boas palavras da avó. Silenciou e aguardou que a outra tomasse o chá.

_Deise, preciso te dar uma notícia que eu sei que você não vai gostar. Eu preciso que você se sinta preparada para o que vou dizer.

As jovens são impacientes e ela disse que nenhum assunto poderia fragilizá-la naquele momento. A avó, antes de rir novamente, disse tudo de uma vez:

_ A sua mãe trocou de marido. O seu pai tinha amante e ela fingia que não via. Nunca me disse nada, mas uma mãe conhece os seus filhos como ninguém mais. Ela estava triste.

Nesse momento Deise afundou no sofá, mas Anabela continuou:

_O problema não foi a separação, eu já previa que daquele jeito o casamento iria para o brejo. O problema foi o modo como ela fez tudo isso em dezesseis dias, nem mais e nem menos. Quando cheguei à casa dos seus pais, há oito dias, encontrei o seu pai abraçado a uma mulher que, por sinal, é belíssima e livre. Ele pegava o restante das roupas que ainda estavam na residência. Saiu bem, saiu satisfeito em poder levar a vida que desejava a uns dois anos, pelo que eu sei. Quando fui confortar a sua mãe, ela pediu-me que eu voltasse no dia seguinte e que conversássemos pelo telefone naquele dia. Eu entendi a situação e deixei-a só naquele dia.

Deise interrompe a avó:

_Ela ficou arrasada e se meteu em encrenca?

Anabela fez com a cabeça que não.

_Acontece que para se distrair, ela foi a pizzaria, e se encantou com o pizzaiolo, um homem boníssimo da cantina do bairro do Bexiga. Trocaram telefones e se encontraram.

Deise conhece o pizzaiolo desde que era criança, mas ele era casado naquele tempo.

_Ele se separou vovó? A mamãe arranjou um amante?

Nesse instante ela não sabia se chorava ou se sorria porque o namorado da mãe era amigo da família.

_Acontece que o Genaro se separou há pouco tempo e ele resolveu dar um fim na solidão. Ele agora está morando na sua casa porque a casa dele ficou com a antiga esposa.

Deise brigou com a avó:

_E a senhora admitiu isso, vovó? Logo a senhora!

Anabela olhou profundamente nos olhos da neta:

_Deise, diversão é uma palavra pequena, eu tive uma crise de riso que seria histérica se eu não tivesse passado da meia idade. Adorei o que a sua mãe fez. Vim para perto de você para deixar que eles se entendam. O seu avô, enquanto vivo, respeitou a mim e a família dele. O seu pai se meteu com mulheres livres e contava vantagem, diziam que conseguia todas e por aí abaixo. Mas é o seu pai e respeite-o. Não saia com ele quando ele estiver com a amante, filho implica e amante é ciumenta. Eu não quero confusão entre você e o seu pai.

A moça retrucou:

_Ah! E a mamãe?

_Deixe que ela aproveite o momento, eu vim aqui para ficar com você enquanto eles se acertam.

Agora Deise estava em estado de necessidade. A avó cuidaria dela.

18 comentários:

Ivone Poemas disse...

Adorei essa estória, muito boa mesmo, criativa e prende a atenção, pois olhe amiga você tem talento, pode ser roteirista, sim, pode!
Imagine só, eu também nem acredito que essa avó possa ser assim tão moderna,rsrs!
Parabéns muito boa imaginação e capacidade de criar!!!
Abraços
Ivone poemas
henristo.blogspot.com

Simone MartinS2 disse...

Nossa! Não sei como entender essa situação, mas me pareceu que a avó sentiu-se despejada pelos dois e foi a ter com a neta, agora vai ficar por uns dias e quando a neta se der conta, a avo ja fez moradia em tua casa, nao sei se acho triste ou comico, mas eu nao quero um dia passar por isto, quero ter minha liberdade e morar sozinha...bjin...que situação nao?

Mery disse...

Como a Simone, eu não sei se esse caso é triste ou cômico...
Olhando do lado da menina é triste ver seus pais assim;
um pra cada lado.

Mas se o casal, os pais da menina, encontraram logo outros parceiros é porque as coisas já não estavam tão bem entre eles.
Então penso que o final foi feliz, o amor entre os dois estava acabando e acabou mesmo.
A avó é a grande estrela dessa história, a principal, pelo modo com encarou o fato.
Ótimo conto, a vida real é assim,nos surpreendemos todos os dias, podias mesmo ser a autora de uma novela ou um livro. Te admiro muito, beijos da Mery.

MARILENE disse...

O que é desgraça para uns é motivo de refazer a vida e encontrar a felicidade, para outros. Por que não rir??? Bem fez a avó!
kkkkkkk

Bjs.

Marly Bastos disse...

Pelo desenrolar dos acontecimentos, creio que as coisas ja estavam acabadas a muito tempo e que era somente uma questão de decisão. Então houve e pronto!
Cada qual com o seu(a) tal.
Beijokas doces

Célia disse...

Também rio do lado de cá... nada a comentar!!! A vida é deles e cada um tem seu livre arbítrio!! Feliz aquele que tem coragem de procurar ser feliz! Yayá, seu conto dá um especial da Globo, podes crer! Abraço da Célia

Catia Bosso disse...

Achei o máximo esse desfecho!!!!

bjs meus

BRUMA LILÁS disse...

UM BELO CONTO RECHEADO DE MUITO CRIATIVIDADE QUE ME PRENDEU DO INICIO AO FINAL, E QUE DESFECHO!BJS E UMA SEMANA DE MUITA PAZ E LUZ!!!!

Fernando Santos (Chana) disse...

Espectacular....
Cumprimentos

Aclim disse...

Assisti um vídeo de um comercial em que as crianças imitam os pais.
Me pergunto, a menina precisa respeitar o pai que não respeita a mãe nem a filha?

Dois pesos e duas medidas?

Mas é muito cômodo.

Eles, os jovens não pensam assim, creio não sei. Artualmente...

Abraço

aluap disse...

Feliz pelo final, pois a mãe também encontrou um companheiro e como "nestas coisas" os filhos são sempre quem mais sofrem, os avós têm um papel fundamental, como é o caso desta moderna avó.
A história é bastante actual. Gostei.
Boa Semana

Jorge disse...

Bom para mulher comentar. Imaginativo!

Obtuso disse...

nesta história...não vejo vovó a estrela...Deise é...como todas as Deises que existem pelo mundo fora e conseguem cantar "I will survive"

。♥ Smareis ♥。 disse...

Muito boa essa história. Que vovó moderna essa? Gostei da vó.Deixo um beijo grande e desejo de um ótimo começo de semana. Abraço!
Smareis

Jopz_B1B disse...

kurti e aguardo o próximo capítulo!

Vera Lúcia disse...

Oi Yayá,
Sensacional o seu conto!
Amei esta avó de mente aberta.
Beijos.

Elisa T. Campos disse...

Gostei muito do texto.
A neta que se cuide. A avó já marcou seu novo território.

Bjs

VeraBruxa disse...

Olá!
Sabedoria de avó.
Abraço.