VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 6 de agosto de 2011

Conversa de Banco

Conversa de Bancoclip_image001

João chega a sua casa e pega a correspondência. Entre as cartas, havia uma carta registrada com os seguintes dizeres: ”Favor comparecer à sua agência para tratar de assunto do seu interesse.”

João estranha porque o que ganha, gasta. Num dia da semana, na hora do almoço, vai até a agência para saber do que se trata aquela carta.

_Senhor João? Pergunta o gerente.

João apresenta os seus documentos, a carta, e pergunta o motivo da missiva.

O gerente confidencia:

 

O gato se escondia na lareira

Da sala de visitas, mimado.

Pensando na sardinha faceira;

O cão seria em guisado mudado.

 

Edson respondeu:

 

Estava ele invisível à esteira.

Estou muito surpreso de fato,

Jamais imaginei essa rasteira;

Salvou-me de invernada ao gelado.

 

O gerente concordou:

 

O gato não o levou até a cumeeira

Por pouco. Dificulte esse estrago

Que o gato volta atrás à maneira

Antiga, sem mostrar o seu rabo.

 

E disse ainda:

 

O extrato está conforme o acertado,

E vá bem avisado da feira,

Do plano convincente e logrado;

Podado na ingerência certeira.

 

Edson agradeceu a correspondência ao gerente:

 

Sou grato por ter vindo na canseira.

Um cliente com decência avisado,

Que vindo nesse encontro à ligeira,

Aguarda o seu respaldo apressado.

 

     Com tudo resolvido, ele volta do almoço.

21 comentários:

Farley Rocha disse...

Seria surpreendente se na minha cidade tivesse uma agência bancária do cordel encantado. rs
Gostei muito!

ARTESÃ DAS LETRAS disse...

Oi passando aqui para desejar um domingo de muita paz!
Amei tuas letras!
bjs Taís

Severa Cabral(escritora) disse...

Seria cômico sim...
Bjssssssssssss

Rayén disse...

Gracias por tu visita y por compartir conmigo este lindo detalle por tus 300 seguidores.

Muchas felicidades.
Un abrazo cariñoso.

Luís Coelho disse...

Um dos muitos incidentes
Alguns lêem as cartas e procuram solucionar os problemas, mas outros se calam e são comidos por esses gatos lampeiros e apressados dos lucros.

Bruna Dayane Sagaz disse...

Sempre que leio um poema preciso ler mais de duas vezes para entender ¬¬' e sinto muito por mim por não conseguir apreciar de fato do que se trata. Sou muito retardatária nesse assunto, o bom é que quando não entendo eu pergunto para quem saber... se puder me explicar fiquei grata!


:D

Artes e escritas disse...

Bruna, de dinheiro a gente não fala, desconversa, rsrs. Um abraço, Yayá.

Bela disse...

Querida Yayá, obrigada por me alertar o erro no meu atual post. Na verdade, é "no meu", ao escrever, eu "comi" a letra u.
Muito interessante seu texto, gostei demais!
Abraços e uma ótima semana,
Bela.

Maggie May disse...

em versos , a prosa !

Liliana Lavado disse...

Muito bom! Parabéns :)

Célia disse...

... bem de "gatos e gatunos"... em bancos, principalmente, há em profusão... e, um detalhe: nem sempre o cliente é avisado "com decência"... Abraço e bom domingo!
Célia.

Zélia Gadelha disse...

Adorei Yayá! Quem já não passou por isso! Que bom que na Agencia do Cordel o atendimento é rápido ele ainda consegue voltar pro almoço rsrss...
Uma semana encantada pra você! Bjusss

Majoli disse...

Delicioso querida Yayá.
Eu quero receber uma correspondência do gerente do meu banco, e ser atendida dessa forma estonteante.

Amei.

Beijos com carinho.

lucidreira disse...

Tem um motivo muito real em não atender os chamados de gerentes de bancos que nunca tivemos um relacionamento, no mais é como sempre se diz, na grana fica difícil chamar para uma conversa.
Legal esse de poema cordelista.
Abraço

IDERVAL TENÓRIO/DRA VIRGINIA TENORIO disse...

Querida que profundidade de mensagem aos incautos,muitas vezes todos somos incautos, veja o que diz as suas palavras:"POR POUCO O GATO NÃO O LEVOU ATÉ A CUMEEIRA", muitos se arvoram aos elogios e do paraíso simples em que vivem caiem num inferno quase sem fim para muitos momentos da vida. A poesia é universal,a poesia é sensibilidade ,a poesia é vida.Abraços Iderval. http://www.iderval.blogspot.com

Lena disse...

Muito legal Yayá, ri de monte. Um beijo grande e uma ótima semana pravocê!!!

Maria selma disse...

Oi amiga,Parabéns 300 seguidores,agradeço pelo mimo e por comemorar com você esta conquista,fiz um mimo para você espero que goste,este é o link:
http://selma-rovaris.blogspot.com/
beijos

AFRICA EM POESIA disse...

Gostei muito
Levo o Selinho

Deixo...

JESUS o Louco
Porque Realmente Ele
não pensou na ganância dos homens. Deu-nos Liberdade TOTAL e o mundo está com está.

Agora pergunto não seria melhor algumas amarras?não é isso que fazemos com os nossos filhos??


as minhas interrogações..
..
Beijos
Lili

MARILENE disse...

Alguns chamados nem devem ser atendidos. Só a alusão a "seus interesses", quando não os temos, é suficiente para que o desconheçamos.

Bjs.

CEM PALAVRAS disse...

A cada dia me surpreendo e gosto mais do seu blog.
Beijos

Bruna Dayane Sagaz disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAH...AGORA FAZ TODO SENTIDO ^^ obg linda ^^