VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 16 de agosto de 2011

Preguiça

Preguiçaclip_image002

 

O vento que seca a roupa

Lavada se mostra forte;

Levanta varrendo a sorte

E a poeira da terra, rouba.

 

Não mede esse esforço à louça

Do tanque na esfrega; dorme

E ignora essa pedra, corre

E faz o desgaste à força.

 

Reclamo e me queixo à toa,

Tolice de esbórnia é trote

E lavo de novo o short.

Preguiça tem cura e voa…

17 comentários:

Paulo Francisco disse...

Mas quando ela bate... não tem jeito...
Um abraço

Ma Ferreira disse...

rsrsrs
adorei..ando meio preguiçosa...rs

bjkas..

Célia disse...

Olá, Yayá... rendo-me à preguiça e boa!!! Tudo se resolve! O doce far niente é da mesma árvore genealógica: ócio criativo! Quer melhor?
Abraço, Célia.

Zélia Cunha disse...

Adorei o poema. Ter preguiça às vezes até que é bom.
:D
Beijinho

@ Escritora disse...

Eta preguicinha boa sô, rsrs
Gostei muito!
Bjos

Luís Coelho disse...

Uma preguiça agradável, teimosa e persistente como o vento.
Por vezes até é bom ser preguiçoso.

"Quem nada faz nada erra"

lis disse...

Lindo Yayá
minúcias do cotidiano ! e voce lindamente descreveu.
adorei,parabéns
abraço

Mi disse...

Olá, Yaiá! Obrigada pela visia ao www.escondidoempalavras.blogspot.com

Tb to adorando o seu blog... parabéns!! Beijs Millena Precioso

VeraBruxa disse...

Olá!
O "Artes e Escritas" é endereço para minhas visitas diárias. E hoje serviu para eu olhar pela janela ver-sentir o vento (está ventando muito aqui)e pedir que leve minha preguiça, pois tenho uma tarefa que estou adindo há tempos... Mãos à obra!
Abraço.

Marina-Emer disse...

bonitos versos ...gracias por tu visita y tu afecto el que yo te tengo también
besos
Marina

* Verinha * disse...

Muito fofo se poema Yayá!

Beijinhos em seu coração..
Verinha

Jorge disse...

Desculpe o vento. Ele pensa que poeira é detergente!

FAMARTAN disse...

Yayá, se eu pequei foi porque não encontrei esse teu blog antes. Obrigado pelas boas-vindas, e seja bem-vinda também.
Abraço!

Bruna Dayane Sagaz disse...

Me animou muito seu poema , não sei se entendi direito ( sabe né? sou retardatária com poemas) mas minha preguiça saltou fora... Em poucas vezes algum poema mexe com meu estado de espirito e o seu fez isso ^^

:*** Abraço

João Esteves disse...

Valeu ler essas quadras suas. Bem humorada, você convida a pensar sobre esse tema polêmico. Quase aceito o convite e mergulho em reflexões sobre ele. Mas me deu uma preguiça, deixa pra outra ocasição.

Severa Cabral(escritora) disse...

Ai que preguiça me deu!
rsrsrsrsrsrssrsrsrsrsrsrs
Preguiça faz bem?

Artes e escritas disse...

Severa: imagine um tanque, uma pedra de sabão, a roupa lavado. Depois o vento varrendo o terreiro e sujando de terra a roupa. Entro em casa e fico lá até o dia seguinte quando eu direi bom dia à vida e lavarei tudo de novo. Rsrsrs. Um abraço, Yayá.