VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Novelo

Novelo

clip_image002

São tantos gatos,

Que me acostumo;

São tantos fiapos,

Fiapos sem prumo.

 

Fiada de trapos,

Gatos eu arrumo;

Desembaraço-os,

Sigo o meu rumo.

 

Fios de embaraços,

Vejo e não assumo.

Cobram-se laços,

Lã que eu não durmo.

8 comentários:

Imaginário disse...

Belo tecido, Yayá!
Um prazer tentar desentrançar...
Também eu, modestamente, acabei de falar de fios. E, ainda, de abismos, noites e esperança.
Grande abraço.
Gilson.

edumanes disse...

O novelo desmanchado
Pelos gatos a brincar
Não tiveram cuidado
O fizeram rebolar!

Desejo um bom dia para você,
amiga Yayá, um abraço.
Eduardo.

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde vim conhecer teu blog e já me deparo com poesias muito bem construidas.. delicia de rimas.. bem como eu gosto não só de fazer comoler tb.. inclusive elas tem a métrica.. parabens
deixo meu blog se desejares
lapidandoversos.blogspot.com.br
tenha um lindo dia abraços

XicoAlmeida disse...

Pena que nos fios de embaraços também se quebrem laços...
Adorei, como habitualmente, Yayá.
Abraço grande.

Eloah disse...

Que linda esta tecedura, gatos e um novelo de lã fizeram versos e encantaram. Bjs no coração Eloah

Célia Rangel disse...

Um poema que versa da vida subliminarmente e tocou-me muito... "nos fios de embaraços"... difíceis de desembaraça-los!! Obrigada!!
Bj. Célia.

Rita disse...

Hoje vim agradecer sua visita!!

Desejar sucesso sempre, e deixar uma frase que gosto muito!!!

A Verdadeira coragem é Ir Atrás De Seus Sonhos Mesmo Quando Todos Dizem Que Ele é Impossível.

( Cora Coralina )


Bjussss eternos!!

└──●► *Rita!!

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa Tarde Yayá
Lindo poema! Trazendo para a vida, nos ensina a desvendar o segredo dela mesma!
Uma linda e abençoada semana para você!
abraço amigo
Maria Alice