VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 10 de agosto de 2013

Pode Ser Chamado de Homem? Crônica do Cotidiano

Pode Ser Chamado de Homem? Crônica do Cotidiano

clip_image001

Hoje parei para tomar um café. Lugar bom e ambiente aconchegante. Estou para ser servida pela moça, quando o jovem adulto se interpõe ao atendimento:

_Dois salgados e um café. Aqui está o comprovante de pagamento feito no caixa.

Não havia fila, mas ele estava com pressa.

_Quero o terceiro pastel desse prato e a segunda coxinha de frango do outro.

A moça perguntou se ele iria comer ali e ele respondeu que não, pedindo um copo descartável para o café.

A moça colocou os salgados no pacote e o café no copo.

Ele a olhou com indignação:

_A moça não ouviu que eu quero metade do copo com café e a outra metade com leite?

Ela disse que não. Eu também não tinha ouvido.

_Jogue fora metade do café e coloque leite.

O tom da voz convenceu a moça e ela jogou fora o café e colocou leite, sem dizer a ele que ela pagaria o que havia posto fora.

Ela então perguntou se ele queria açúcar ou adoçante para levar.

_Nem pensar! Passe bem.

Ele saiu do café com as suas calças jeans skinny e camisa ligeiramente aberta no peito, além dos salgados e do café com leite.

Ele saiu e eu tomei o meu café do jeito que eu gosto. Se bem que nós duas estávamos sem sorrisos, o comportamento dele não foi dos melhores.

Pensei em todos os donos de restaurantes e nos chefes cozinheiros, todos os homens responsáveis que fazem o sabor dos restaurantes nos dias em que as famílias saem para almoçar juntas.

São os homens bons que merecem as crônicas, são eles que fazem o dia bom de muita gente.

Fica a minha gratidão aos chefes de cozinha.

clip_image001[1]

3 comentários:

✿ chica disse...

Que coisa esse comportamento bobo e arrogante. Ninguém merece! Linda crônica! beijos,chica

Célia Rangel disse...

Se cada um de nós colocássemo-nos no lugar do outro, com certeza teríamos outra sensibilidade e educação!
Bj. Célia.

Jorge disse...

Pela maneira de agir, não era muito homem,não!
Bom fim de semana e venham mais crónicas.