VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 20 de junho de 2015

História Pitoresca

História Pitoresca
clip_image002
Duas pessoas seguem pelo mesmo caminho anos após ano. Trocam diálogos úteis e toda a gente fica contente em ouvir as histórias deles.
Um dia, seguindo por essa estrada, eles observam que, ao final da estrada, outra estrada dividida em duas direções, aquilo que hoje chamamos de encruzilhada. Uma tabuleta contava as direções dos caminhos:
Caminho #: Quem segue por esse caminho sabe mais
Caminho**: Quem segue esse caminho adquire sabedoria
Um vira-se para o outro e diz que quer sabedoria. O outro se vira para o primeiro e diz que quer saber mais. Eles discordam e um quer que o outro siga o caminho do outro.
Nesse instante aparece do nada, uma velha senhora que avisa que saber mais não é sabedoria. Apesar do livre arbítrio de cada um, ela insistiu para que seguissem pelo caminho da sabedoria.
Eles conversaram e decidiram seguir os caminhos escolhidos por eles: um foi pelo caminho de quem quer saber mais e o outro foi pelo caminho da sabedoria.
O homem que foi pelo caminho da sabedoria, em sua caminhada ficou noites sem dormir porque não tinha quem o ajudasse contra os problemas da estrada, teria que apagar a fogueira que aquecia as noites e sofreria as consequências do frio, o que dificultaria a caminhada.
O homem que foi pelo caminho de saber mais, encontrou uma gruta e teve menos problemas com as intempéries.
No caminho da sabedoria havia muitos sábios e cada palavra dita por eles valia muitos pergaminhos.
Já, pelo caminho de saber mais havia bancos de madeira para que o viandante repousasse e ali comesse alguma coisa que trouxesse consigo.
O caminho da sabedoria era sinalizado para que nenhum passante se perdesse e pudesse seguir ali até a hora de retornar.
O caminho de saber mais continha setas diversas indicando o mapa para que o local certo fosse indicado.
Os dois homens seguiram pelos caminhos e voltaram ao ponto de onde partiram.
Um voltou mais sábio e o outro voltou sabendo mais.
E, se tinha algo de ruim nessa história, dois latidos de um cachorro bravo, os retiraram.
Os homens correram, pois cachorros mordem. Essa foi a melhor história da vida desses caminhantes.

Nenhum comentário: