Loading...
Loading...

domingo, 6 de outubro de 2013

Refazer a Vida / Reflexão

Refazer a Vida

clip_image002

Todos os seres humanos estão sujeitos a se verem sozinhos. Às vezes por perdas de familiares, às vezes por separações, às vezes por opção e, às vezes pela imposição das necessidades de sobrevivência.

|São momentos significativos e, é preciso coragem. Atalhos não faltam para se trilhar um círculo vicioso, deixando a condição de se estar só para depois. Pergunta-se: depois é quando?

Esse momento tem a sua magia, é o momento de se redescobrir em defeitos e em alegrias. Acredito que as pessoas devem se permitir refazer e perceber com quais amigos ela têm afinidades, quais são os tipos de lazer que a agradam, quais são os afazeres que a deixam mais aborrecida. Cabem à pessoa essas descobertas a respeito de si próprias e as tomadas de decisão consequentes.

Talvez, nem tudo o que for planejado dê certo e, certamente todos têm as seus desencantos; mesmo aqueles que não estão na condição de recomeçar a vida.

O que a pessoa não se deve permitir é continuar os problemas que, na verdade, são desnecessários ao recomeço, como relacionamentos desgastados com pessoas boas, mas de pensamento completamente diferente do seu. As afinidades são estímulos para qualquer começo. Os empresários não abrem sociedade com pessoas antagônicas ao seu modo de ser. Por que é que alguma pessoa deverá procurar a convivência com aqueles que têm objetivos diferentes na vida?

Penso que pronto e perfeito, é Deus e mais ninguém.

Também sou contra se refazer às pressas, a não ser em caso de necessidades urgentes, mas, normalmente, podem-se escolher as calçadas por onde se deseja caminhar. A afetividade é complicada e precisa do interessado em descomplicá-la. A pessoa pode se ajudar e precisa de força de vontade para recomeçar após perdas e fracassos emocionais.

Para recomeçar e se refazer é preciso maturidade e não se deixar conduzir pela primeira pessoa que aparece. Não que o outro não queira ajudar, mas ele também erra, também tem defeitos e qualidades. Nessas horas, vale o ditado: muito ajuda quem não atrapalha.

Embora haja discernimento do que se quer, é bom não se perder em obsoletismos tais como se incomodar muito com assuntos que não interessam ao momento. É preciso pensar naquilo que se quer e ir em frente com paciência e determinação.

Paciência, porque existe a demora em se refazer e é preciso se determinar em quais passos são os prioritários.

Depois, descansar ao lazer e, recomeçar.

Se o lazer for adequado ao jeito de pensar da pessoa, vem a preguiça de continuar o que se faz até terminar o que foi começado. É aí que entra a determinação. Sem determinação, a pessoa fica a precisar fazer algo mais e esse algo mais fará falta na sua vida.

Terminadas as etapas iniciais, a vida segue bem. Sozinho, mas com o conforto necessário para se prosseguir. Aos mais afoitos, digo que esse conforto vem de sentar-se na sua cadeira e sentir-se de bem consigo mesmo.

Agora, sim, o depois fica para depois, porque o importante foi feito.

3 comentários:

Élys disse...

Creio que você tem razão em tudo que escreveu. Um texto muito bom para uma reflexão.
Beijos.

Lu Cidreira disse...

É isso ai, a maturidade, coerência, organização são prioritárias para que tudo se ajuste a ponto de dar o verdadeiro equilíbrio.
Muito boa a abordagem. Devemos mesmo refleteir antes para agir.
Abraço

Sor.Cecilia Codina Masachs disse...

Hola mi querida Yayá,naturalmente que sin una buena dosis de madurez, no podemos convivir felizmente. hay que saber respetar las diferencias e intentar convivir con ellas. nunca encontraremos la persona perfecta para convivir, ni lo somos cada uno de nosotros.
Yaya,mi blog hoy cumple su 4º aniversario y me gustaría tenerte a mi lado.
Gracias
Con ternura te dejo un beso
Sor.Cecilia