VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Ano Novo 2015 / Crônica de Supermercado

Ano Novo 2015 / Crônica de Supermercado

clip_image002

Final de ano tem supermercado para a maioria das pessoas. Alguns cachos de uvas, alguns refrigerante, além dos petiscos e os preparativos para o jantar. São os costumes e as tradições que nos alegram nessa época do ano.

Dessa vez pedi companhia, refrigerantes acompanhados de familiares são melhores.

_Você me ajuda?

_Ajudo.

Compro e vou à fila. As costumeiras conversas que ajudam a passar o tempo das filas se iniciam.

Meia hora depois e chega a minha vez de passar pelo caixa.

Apressado, o familiar pegou um carrinho vazio e o colocou na frente do caixa assim que começo a tirar os refrigerantes do carrinho de compras. Tinha pressa e disposição para ajudar.

As conversas acabaram, em parte, posto que quem estivesse à minha frente já se foi e a senhora atrás ainda reclama da falta do ingrediente para a salada que se acabou ontem. Ela sairia dali para procurar o que precisava noutro supermercado. Era um ingrediente especial e chamado gourmet e nenhum supermercado investe muito nessa área.

Ele, o familiar, coloca os refrigerantes no carrinho vazio e ajuda a caixa a empacotar os produtos. Permanecia calado.

Tudo pago e empacotado, viemos embora.

Durante o percurso pergunto se ele ouviu o bate-papo.

Ele sorriu.

Pergunto a ele se saiu satisfeito do supermercado.

Ele sorriu e disse que havia ficado quieto para prestar atenção naquela conversa de fila.

_Você pretende escrever a conversa?

Eu respondi que a crônica sairia, sobre a conversa, eu precisaria pensar antes de escrever.

_Você gostou da conversa?

_Eu tenho que admitir que haja algum tempo eu não presenciava conversa tão boa e nem momentos tão agradáveis no dia a dia.

Talvez tenha sido a conversa mais significativa na fila do supermercado nesse ano de 2014.

Assuntos de cotidianos e familiares, comuns a todos os seres humanos; conversas que mexeram com as emoções de bem querer d’uma família.

Enfim, alguém descobriu de onde nascem as crônicas de supermercado.

Alegria dividida é alegria dobrada. Daquela fila ninguém saiu aborrecido.

Feliz Ano Novo!

2 comentários:

aluap Al disse...

Vim desejar-lhe um Feliz 2015.
A crónica de fim d´ano, no supermercado ficou excelente. Gostei, parabéns e um abraço. Paula.

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Que o ano de 2015 seja pleno de amor e felicidade...de paz e fraternidade...repleto de realizações e de sonhos concretizados.
E mesmo se as mãos estiverem vazias...que a esperança seja um sorriso esperando pelo futuro e iluminando o caminho para que a vida seja um suave tapete de pétalas e todos os dias do Novo Ano se pintem com o azul de uma serena madrugada.

E obrigada pelo carinho e amizade que me aquece o coração e me dá alento para continuar a minha caminhada.

FELIZ ANO NOVO
Um beijinho
Sonhadora