VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 8 de novembro de 2014

Sem Jogo

clip_image001Sem Jogo

Florinda foi direto ao assunto:

_Eu não gosto dela. Eu não gosto do método.

Seca. Direta.

Glória disse que não a conhecia bem e perguntou o que havia de errado.

_Ela ensina a criança a se defender.

Glória disse que não havia entendido muito bem o assunto.

Florinda tinha um olhar duro ao responder:

_Como é que se deseja criar uma sociedade saudável quando a autodefesa fica acima dos valores de amor aos pais?

Glória perguntou se Florinda tinha certeza daquilo que dizia olhando profundamente para os olhos tesos de Florinda.

_Ela está impedindo que a criança descubra o mundo com os seus próprios olhos. Nada a ver com bom comportamento. O bom comportamento não impede e não conduz a uma visão única para a vida, antes propicia as pequenas descobertas com segurança. A segurança é obrigação adulta e a distração é o respeito à infância tal como ela deve ser.

Glória disse que não poderia opinar porque os seus filhos estavam crescidos.

_Os seus filhos estão crescidos e cheios de vivacidade e vontade. Entende?

Glória perguntou à Florinda se ela queria preveni-la de algo.

_Estou. Tanto eu quanto você, nós não gostamos de jogos. Pão-pão _queijo-queijo. O termo vocês se transforma em eles num piscar de olhos. É questão de valores pessoais. Os dela são diferentes dos nossos. Observe.

Glória disse que havia observado.

_Você quer dizer que, para nós, em primeiro lugar vem o valor de amor em família?

Florinda disse que sim.

_Combinado!

Florinda complementou:

_Somos todas boas pessoas, mas preservamos os nossos valores.

Glória concordou e ficaram de acordo.

Se forem infantis, é porque acreditam na vida. Toda criança deveria acreditar.

3 comentários:

Célia Rangel disse...

A imaginação fértil das nossas crianças precisam ser estimuladas... e, como muito jogo - ainda que "jogo de cintura"...
Abraço.

Marina Fligueira disse...

Hola, vaya dilema se traen Gloria y Florinda.
Es un entretenido relato entre las dos con motivo de las crianzas.
Ha sido un placer pasar por tu casa.
Quiero agradecer tu huella en mis letras. Que Dios te Bendiga cada día de tu vida.
Te dejo mi cálido abrazo y mi estima.
Besos azules en vuelo.
Y feliz fin de semana.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

A simplicidade das crianças e a sua espontaneidade são uma presença constante.
Entende-las e ama-las como são é uma caminhada.