VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

O Gato e o Piano / Crônica do Cotidiano

O Gato e o Piano

clip_image001

Ao fazer os exercícios musicais os pássaros começam a cantar e é bom ouvi-los.

Mas o som estava muito forte e, saí à janela.

Um gato dormia e vários pássaros piavam em volta dele.

O gato não se mexia.

Pensei que estava morto.

Olhei uma, duas, três vezes. A cena intacta. Os pássaros cantavam alto, e muito próximo ao gato.

Ele estava sobre o muro e, eu comecei a ficar nervosa com o desespero dos passarinhos em volta do gato.

Gato sem dono, mas que vive bem na cidade grande, pois encontra alimentos facilmente.

Parei de estudar e, após conversar em casa com um familiar para perguntar qual seria a melhor atitude e, ouvir que, se não fosse para trazer o gato para dentro de casa, que não cuidasse. Não se alimentam falsas esperanças de casa para os animais de estimação.

Contei da situação do gato para alguém que passou por perto.

_Depois a gente manda recolher.

Perdi a vontade de estudar. Peguei uma caneca com água, saí e cheguei perto do gato.

Obviamente não joguei a água em cima do gato, mas ao lado.

O gato, somente com o barulho da água abriu os olhos e ficou me encarando.

Parece que eu o acordei.

Parece que eu o impedi de caçar passarinhos. Era o que o olhar dele contava.

Os passarinhos que estavam preocupados com o gato e que o rodeavam parecendo sentir pena, ao perceberem a cabeça do gato levantada e o olhar dirigido a mim, afastaram-se rapidamente. A preocupação agora era com eles mesmos. Mesmo assim continuaram no muro observando o que iria acontecer.

O gato me acompanhou com o olhar enquanto eu observava se ele estava saudável.

Entrei em minha casa, o gato levantou e saiu muro afora e os pássaros voltaram para as árvores, o seu lugar adequado e protegido.

Onde se viu gato que se aproveita da música para caçar passarinho?

Era só o que faltava!

Um comentário:

ricardo alves / são paulo,brasil disse...

arejado e gostoso texto para um fim de tarde de sexta...