VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Plenitude

Plenitude

Quero o cheiro de terra molhada,

Lua nova brincando o terreiro,

Rede branca de renda bordada,

Vista alegre de pássaro meeiro.

 

Quero gosto de boca adoçada,

Onde um só pio se encanta em viveiro,

Canta um conto à mangueira e à goiabada

Feito encontro de viola e violeiro.

 

Quero o ar fresco da luz madrugada,

Quero o sonho d’um sol algodoeiro,

Claro e tênue da brisa soprada,

Nesse sono dormido ligeiro.

 

Gesto é terra, gosto é água tomada,

Vento é vida de som romanceiro,

Quer a brisa trazer a toada.

Quero nada mais não, sinto o cheio.

 

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Uma poesia que mostra todo o encanto do poema da vida! Linda! Trilha sonora perfeita completando-a...
Abraço.

La Gata Coqueta disse...




Si quieres la luna, no te escondas de la noche.
Si quieres una rosa no huyas de las espinas.
Si quieres amor, no te escondas de ti mismo…

Un abrazo lleno de energía positiva,
para celebrar a tu lado
con alborozo el fin de semana.


Atte.
María Del Carmen