VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Dia das Mães / Conversa Anos 60 / Curitiba

Dia das Mães

Conversa/ anos 60

clip_image002

_Que absurdo ter que comprar presente porque é Dia das Mães. Dia de mãe é todo o dia. No tempo da minha mãe não havia presente. Sou contra este comércio.

_Eu vou chorar porque a minha mãe era uma fada. Foi tão cedo embora. Essa saudade com data marcada me deixa por triste. Farei orações por ela.

_Será que o comércio não tem consciência de que cozinho todos os dias da semana e agora terei que cozinhar um almoço como se fosse ceia, para festejar o meu dia?

_Eu tenho que dar dinheiro e sair com os meus filhos para que eles comprem um presente para mim que caiba no meu bolso, que fica no paletó do meu marido. Não queremos gastar dinheiro em bobagem e eu não preciso de nada. Haja paciência!

_Como vocês são antiquadas, aposto que ouvem bolero. Eu ouço iê iê iê, Beatles, sou moderna. Eu quero o meu dia festejado à mesa grande com os meus filhos em volta da mesa.

_ A missa me bastava. Ficaria muito feliz se o Valdir fosse à missa conosco. O garoto está metido com carros esporte, ele que mesmo é andar de Mustang nem que seja de carona para impressionar as garotas.

_Eu também vou chorar, sou emotiva. Não ligo de fazer o almoço, mas eles que levem na brincadeira e não me emocionem. Não seria justo comigo, a minha vida é para eles e eles sabem disso.

_Estão fazendo festa quando deveria ser obrigatório o reconhecimento do trabalho da mãe. Eles pensam que nasceram de onde? Se não souberem, digo que nasceram da barriga da mãe deles, que cuidou deles por nove meses antes de nascerem. E não é cuidar a alimentação equilibrada, a obrigatoriedade de suprir todos os complexos vitamínicos, a ingestão de proteínas e carboidratos, fazer os exames mensalmente, saber se ele está bem de saúde, enjoar, se sentir sensível, etc. O comércio deveria saber disso.

_Bom, queiramos ou não, o Dia das Mães veio ao comércio e é moda que vai pegar. Os protestos são inúteis. Eles querem vender e eu quero comprar.

_ Então vamos à cozinha fazer o que eles gostam de comer, nós somos as homenageadas, mas o filho não come isto e o marido não come aquilo, tem que ter comida que agrade a toda família. Mães exemplares como eu, modéstia à parte, têm a obrigação de conhecer os gostos dos filhos.

_Também temos que nos arrumar no sábado. Certamente aparecerão visitas. Deixarei a comida preparada para ir ao fogão e tudo que precisar de tempero será adiantado. À tarde irei ao salão de beleza tomar o suadouro do secador para domingo estar bonita e perfumada, com a mesa decorada de flores e a comida pronta para ser servida. Isso é que é trabalho.

_Não faz mais que a sua obrigação. Nem deveria ter comentado, são comentários da vida particular.

_O mais enfadonho é pensar no presente. Se me derem louça, eu não sirvo o almoço.

_Se esta novidade está nos cansando antes, imagine depois de deixar a casa em ordem para segunda-feira. Não quero nem pensar. Eles que escolham uma lembrança e me ajudem a lavar a louça.

_Ah, isso é que é presente. Também quero.

12 comentários:

Luís Coelho disse...

O dia da Mãe é sempre.
Ela é única nas nossas vidas.
Felizes os que ainda tem mãe e que a conservam no seu coração.
As prendas são a coisa menos importante. O que tem valor são os pequenos gestos e aquela ajuda que lhe podemos dar todos os dias assim como aquele sorriso que ela espera.

Magia da Inês disse...

Bom fim de semana!
Bom domingo!

¸.•°`♥✿⊱╮
❤♡
FELIZ DIA DAS MÃES!!!

Beijinhos.
Minas
°º °♫♫♪¸.•°`

Célia Rangel disse...

Melhor mesmo sem nenhuma apologia de "divindade"... somos mortais e tão pecadoras quanto... sosseguem seus cartões de crédito... paz no meu ninho... e Amém, Mães!
Bj. Célia.

Unai disse...

Fantastico

manuel marques disse...

Linda homenagem.
Um beijo para todas as mães do mundo.

Beijo.

Vicky. disse...

Olá, tudo bem??
Já conhece o www.desvendandocasamento.com.br??
Está bem no comecinho... Bom pra acompanhar desde a primeira postagem! ^^
Se gostar, segue lá...
O blog também tem uma página no Face, ok? Se quiser curtir também =)
Beeeijos.

Jossara Bes disse...

Yayá, Querida!

Disse tudo!
Com certeza as mães se identicam com seu texto!
Tenha um lindo dia das mães ( se for mãe) eu não sou.
Felicidades.
Beijos!

aluap disse...

É assim essa conversa passada em Curitiba, como em muitas terras/regiões do meu país. Sabe Yayá, há alguns anos atrás, o dia da mãe em Portugal era comemorado no dia 8 de Dezembro, dia da Imaculado Conceição, padroeira e rainha de Portugal. Era um dia muito especial, mas por causa do Natal, digo, do comércio, foi mudado o dia para o 1.º Domingo de Maio, com o intuito, a meu ver, de lembrar os comerciantes e não as mães.
Mas falando dos anos 60 vou querer ver um dia destes umas fotos antigas suas.

Bj** e um bom dia da mãe p/ todas as mães do Brasil e que todas as famílias vivam em harmonia para que os laços familiares continuem a ser uma referência para todos nós.

Mona Lisa disse...

Um texto fantástico!

Dia da mãe é todo o ano!

Feliz dia das mães!

Beijos.

Marly Bastos disse...

Adorei o texto! Dia das mães é todo dia e no domingo do dia delas, ainda sobra o serviço pra fazer.
Se vou pra casa da minha mãe comemorar, eu vou pra cozinha preparar as coisas, mas nesse caso eu também sou mãe e vou trabalhar??
Não me deem utensílios de cozinha nesse dia que eu fico chaaaaaaateada!
O valor de tudo isso está no carinho trocado, no cuidado, e ter os filhos reunidos em volta da gente.
Um texto bem para esse dia cotidianamente especial!
Beijokas doces

IDERVAL TENÓRIO disse...

Minha mestra li com bastante atenção a sua mensagem para todas as mães,acho é importante o dia das mães,acho importante a escuta das mães,acho importante o respeito às mães, só não sensato é o mercantilismo,a usura,a falsidade e o descaso com muitas mães.Eu tenho mãe e o dia de minha mãe são todos os dias da minha vida.
Envio uma trova de um Poeta Cordelista para todas as mães do mundo.

Mais uma pérola do cancioneiro popular pescado pelo grande Maérlio Barbosa e repescado por este mortal Iderval Tenório. A fonte foi a grande Célia Morais ,uma das intelectuais do Nordeste brasileiro,lá da nossa Juazeiro do Norte, no nosso Ceará.Um abraço ,Iderval..




Diz que o poeta e cantador repentista Zé Calota, de São José do Egito, cantava em uma bodega da cidade quando entrou uma velhinha que o viu cantar e chorou de alegria. Era a sua mãe.

Ai o poeta atacou no repente


Estão vendo esta velhinha
envolvida neste manto
com os olhos rasos d’água
o rosto banhado em pranto
cantava quando eu chorava
hoje chora quando eu canto

Postado por IDERVAL TENÓRIO às 14:59 blog http://www.iderval.blogspot.com

Elisa T. Campos disse...

Você tem toda razão dia das mães
é todos dia

Antigamente o presente era a alegria de estar todos reunidos num simples almoço.

Bjs.