Loading...
Loading...

terça-feira, 18 de maio de 2010

Um livro bom. Conto publicado durante o concurso do site.

Um Livro Bom. Há cinco anos, Aída, de São Paulo, viajou para Jundiaí atrás de um renomado médico porque andava nervosa demais. Chorava sem motivo ou se irritava facilmente. Ela ia a contragosto do marido. Pegou o automóvel e a estrada até Jundiaí, se informou a respeito do local onde o doutor Pacífico de Oliveira atendia. Descobriu que ele tinha ido a um turismo rural nas redondezas da cidade. Cansada e ansiosa, Aída perguntou o endereço do local e como encontrá-lo. Chegou à chácara exausta. Descobriu o roteiro das frutas, um tipo de turismo onde se convive com a natureza e saboreiam-se as frutas da época. Hospedou-se lá. Dormiu bem e no café da manhã, ela o conheceu. Aparentava uns sessenta anos. Aída se apresentou e contou o seu problema. Ele perguntou a sua idade, solicitou uns exames e marcou uma consulta. Ela aproveitou para conhecer a chácara e emprestou um dos livros do doutor para ler. Feitos os exames, ela os levou ao médico. Houve uma queda nos hormônios estrogênio e progesterona. O doutor viu e disse: _A senhora está na menopausa. Algumas mulheres ficam muito sensíveis nessa fase. Ah, o livro que eu emprestei, me devolva depois, leia sem pressa. Da próxima vez, traga o seu marido para cá. Aída voltou reconfortada para São Paulo. O livro a fez refletir a quantos anos não pegava um livro para ler. Devia ler mais. Contou ao marido Arnaldo da consulta, e ele, satisfeito com o médico e com o livro, comprou alguns livros na Livraria Cultura para os dois lerem. Passados seis meses, em Jundiaí para a consulta, Arnaldo disse ao médico que os livros eram um santo remédio para lidar com diferentes problemas. Dessa vez, o médico falou de si. Ele nunca leu um dos livros que emprestava. Agora efetua pedidos na Livraria Cultura. Lê todas as noites antes de dormir.

Nenhum comentário: