VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 23 de abril de 2016

Ventanas

Ventanas



São panapanás amarelas,
Vindas ao quintal taturanas,
Dizendo palavras singelas
Das almas de si porcelanas,


Que buscam floreiras, janelas,
Onde a colorir flores planas,
Negam-se a queimar arandelas
Em salas de estar suburbanas.


Vestem asas às paralelas,
Flanam decorando persianas;
Deixando ao chão suas mazelas,
Sobem ao destino e às ventanas.

3 comentários:

Renata Maria disse...

Que lindo! Amei*
Beijo*

Célia Rangel disse...

Adornos naturais que nos encantam e amenizam nosso olhar!
Abraço.

Gracita disse...

E sempre nos encantam com sua beleza seja em que espaço for
Belíssimo poema
Beijos