Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

quinta-feira, 11 de abril de 2013

Comprei Óculos

Comprei Óculos

clip_image002

Eu vejo o mundo torto de fato, foi o médico que disse. Estou com receio que as histórias se tornem sem graça com esses óculos que corrigem a distorção para perto.

Mas, vejam este caso, ou pior, casamento.

Estava eu entre amigos quando chegou o casal. Eu também era jovem.

O Robson apresentou a namorada:

_Oi gente. Essa é a Valesca.

O pessoal elogiou a moça dizendo que ela era bonita.

Ele concordou, mas foi logo dizendo:

_Antes que vocês queiram saber mais a respeito dela, eu mesmo conto. Ela teve um caso. Morou com alguém antes de mim.

Sinceramente? Senti vontade de perguntar o que é que a gente tinha a ver com isso.

Entreolhamos-nos sem saber o que dizer.

A moça disse que o relacionamento deles era prá valer e que gostava da franqueza como dispensa de comentários futuros.

Nessa frase, com todo o respeito, ela chamou-nos de fofoqueiros. A gente não a conhecia! Como é que a gente iria falar dela?

O Robson continuou:

_Queremos que vocês saibam que nos escolhemos porque somos bonitos, frequentamos os mesmos lugares e estamos em idade de casar.

_Ué? Tem idade?

O moço respondeu:

_Tem idade sim. Queremos ter filhos antes dos trinta anos, na data prevista com cesariana para o parto.

Depois dessa, resmungou-se: _Puxa!

O resumo da festa foi que a mesma passou-se em torno deles. Cada resposta parecia agredir a qualquer ilusão romântica que tivéssemos.

Intervalo da autora:

“Aquele enfeite de bolo com o casal de costas um para o outro, dançando flamenco, era esquisito. O noivo do enfeite do bolo de costas para a noiva, com os pés voltados para as pernas dela, a noiva, eu não gostei. Parecia que o noivo estava prestes a... melhor não dizer. Ninguém gostou.”

Voltemos à história:

O tempo passou. Casaram-se. Dividem as despesas, a cada um o gasto do seu bolso, nem um centavo do outro. Cama de casal, refeição separada. Filhos na data prevista conforme planejaram. Levam uma vida matemática.

Outro dia um amigo comum perguntou se eles eram felizes nessa conta.

O Robson disse:

_Somos. A vida é dura e nós sabíamos disso quando nos encontramos. A Valesca tinha levado o fora do amante, por conseguinte não se envolveria com outro homem. Casou comigo! Mulher adorável que nunca precisou de um centavo meu.

A Valesca disse:

_Lógico. O Robson queria uma mulher que fosse dele, mas sem compromissos financeiros, sem despesas. Ele era o que eu procurava depois da bobagem que eu fiz. Cumpro o meu contrato com exatidão. O que ele poderia querer a mais que isso! Amo muito ele pela compreensão que teve para comigo. Vivemos muito bem.

Para eles valeu, mas para quem viu, não valeu não.

Dispenso dizer o que eu acho. Fica subentendido.

Será que os meus novos óculos farão com que eu mude de opinião? Acho que não.

8 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

pois...precisarás de muitos óculos diferentes e também de lentes adaptadas a cada situação....

As pessoas hoje parece que não querem aprender a viver a crescer e sobretudo a amar...

É urgente que renasça em cada um, um amor novo e que o deixem falar no seu interior com respeito, sem publico nem plateias de admiradores «críticos»

A vida a dois nunca poderá ser negócio nem contracto de compra e venda.
As pessoas cada dia se materializam e perdem o melhor da vida - o amor.

Bergilde disse...

Acho que também preciso mudar os meus porque tenho visto,ou melhor,percebído muitos casais como os do seu conto.Tempos modernos talvez,mas fazer julgamentos prévios acerca da opínião alheia anda de moda hoje em dia por toda parte.
Grande abraço Yayá,

La Gata Coqueta disse...



Hoy me he levantado
con el firme propósito
de dar gracias a Dios,
por permitirme conocer
a personas tan maravillosas
como lo eres tú.

Un fuerte
y excepcional abrazo,
para recibir el fin de semana
con radiante alegría,
de parte de esta
tú incondicional amiga.

Atte.
María Del Carmen



Mariseven Zanon disse...

Parece que eles não se importavam muito com a ação e imprevistos do tempo na vida deles. Sorte que tudo saiu como planejado, mas pra mim, menos a felicidade.
Um abraço.

XicoAlmeida disse...

Acho que a Valesca e o Robson é que precisam de óculos para verem a beleza da vida.
Abraço, Yayá.

Mona Lisa disse...

Uma relação estranha!

Eles lá sabem, mas não convence!

Beijinhos.

Wanderley Elian Lima disse...

Estranha relação, mas acontece. Cada um é feliz, ou finge ser, à sua maneira.
Bjux

Sissym disse...

Olá! Quanto tempo!

Bom, embora eu precise ir ao oftalmologista e ver se preciso mudar os meus, não costumo fazer julgamentos previos. Isso é pessimo. O seu texto relata um pouco o lado cruel, mas verdadeiro da vida de algumas pessoas. Suas escolhas.

Bjs