VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 6 de dezembro de 2015

Precisa Ser Dito? Reflexão

Precisa Ser Dito? Reflexão

clip_image002

O amor de Deus não tem preço e não é cobrado. Essa frase, do ponto de vista espiritual, nada tem a ver com o dinheiro e as contribuições que fazemos às igrejas que frequentamos. Afinal, sejamos sensatos, as igrejas precisam das contribuições, é uma necessidade humana para a manutenção do edifício chamado igreja e de todo o serviço religioso.

Esse amor se traduz em amor ao próximo. As igrejas oferecem os serviços aos fiéis em vários horários durante a semana. Cada fiel tem o seu horário preferido, em acordo com a sua rotina de vida.

Ora, se Deus está no semelhante tanto quanto em nós, não podemos deixar o nosso semelhante, quando necessitado de nós, para ir à igreja naquele horário preferido, a menos que o serviço religioso dependa exatamente de você para existir, o que não é comum.

A família cristã é especial na vida dos cristãos, mas aquele por quem Deus te ofereceu por amor e vontade própria precisa do seu amor. Ir à igreja ao invés de oferecer préstimos àquele próximo que pode ser da sua família natural, ou não, quando esse próximo realmente precisa da sua atenção, do seu carinho e da sua disposição, não é um ato de louvor.

A igreja é um edifício e, lembrando a pregação da semana passada, somos nós que a fazemos existir enquanto igreja, unidos em reunião de orações para louvar e bendizer o Santo Nome de Deus.

É impossível não contar de mim mesma, mas o meu irmão é Católico Apostólico Romano e eu Católica Evangélica. Quando eu assisto o culto online, ele assiste comigo e, quando ele vai à igreja, eu vou com ele. Colocamos Jesus Cristo para abençoar a família, com a graça do Espírito Santo, do qual ele é devoto. Oramos juntos sem discutir a doutrina e acreditamos que cumprimos com o chamado fraternal amor de Deus.

O amor familiar não substitui à igreja, é parte da igreja, enquanto comunhão com Cristo, a nossa “Koinonia”, palavra grega que significa a comunhão.

A verdadeira comunhão existe quando temos um relacionamento pessoal e particular com Deus e, a partir desse relacionamento com Deus, somos capazes de amar o próximo como a nós mesmos.

É por acaso necessário dizer que, se algum dos nossos irmãos necessitarem, se atenderá a esse irmão com prioridade e deixamos para ir à igreja em outro horário?

É necessário. A igreja não pode se constituir em desculpa para não amarmos o próximo, objetivo primeiro de Jesus Cristo.

Quem não ama ao próximo, não se relaciona como deveria com Deus, o criador de tudo.

Ir à igreja, quando se pode ir num horário onde não nos necessitem, ou, necessitem da nossa boa palavra, quando necessário for, é estar em bom relacionamento com Deus.

Em orações pessoais e particulares, onde o Criador nos é revelado constantemente, pedimos a ele que seja feita essa vontade Dele em conjunto com a nossa boa vontade.

Nesse domingo, reflito sobre a boa vontade dos homens e a vontade de Deus, depois das leituras bíblicas dominicais, as quais nos mostram o caminho, a verdade e a vida daquele que É hoje e eternamente a esperança da salvação.

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Compactuo muito dessas suas considerações, Yayá, sobre o ato simbólico de ir á igreja (prédio) ou acolher ao próximo (dentro de mim, como a mim mesmo...). Quando criança sempre fui forçada a comparecer aos ritos nos horários estabelecidos. Deus está conosco. Ponto. Amarmo-nos é a extensão disso tudo.
Abraço.