VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sábado, 17 de outubro de 2015

Quando Deus é Experiência / Reflexão

Quando Deus é Experiência / Reflexão

clip_image002

A experiência com Deus é pessoal, particular e única porque semente Ele conhece o coração do ser humano.

Sinceramente não é a minha intenção escrever nenhuma explanação sobre o assunto, mas um comentário, do qual se espera que esteja em conformidade com a teologia.

O Novo Testamento e os livros neles contidos são os que mais me fascinam.

Permitam algum pensamento, bastante sério.

O Novo Testamento trata a respeito de um homem que quis ser Deus e conseguiu e é Jesus Cristo.

É a síntese da Bíblia, pois Jesus cumpriu as profecias que o Messias seria descendente de Davi, conforme o profetizado no livro de Samuel.

O Messias nasceria na cidade de Belém conforme o profetizado por Miqueias e confirmado em Mateus 2,5 e 6. Jesus não escolheu nascer em Belém.

Ele começou o serviço religioso batismal a partir da morte de João Batista. Entre começar um serviço religioso e se transformar na promessa viva de Deus é a questão. Ele se transformou no Deus Vivo; fato que nenhum profeta conseguiu.

Ele aceitou ser o Deus Vivo e eterno e, sabia que, crucificado, Ele seria o Deus Vivo e Eterno.

Pilatos mandou escrever a culpa de Jesus na cruz: O Rei dos Judeus. Quando questionado sobre o motivo de ter mandado escrever essa culpa na tábua da cruz numa sugestão para que retirasse essa inscrição, respondeu: “O que escrevi, escrevi.”.

O filósofo Sêneca disse que os cristãos eram um bando de desordeiros e dentre as suas funções estava ainda por descobrir que tinha assaltado o túmulo onde Jesus fora sepultado e esse questionamento talvez seja o único questionamento interessante da vida do filósofo sob o ponto de vista cristão.

Jesus Cristo era palavra de vida conforme afirmava o apóstolo Paulo: Timóteo 2.1,1.

Assim, as leituras se sucedem e fascinam-me, mas a palavra de vida é para todos e a cada um Ela, a palavra sagrada, orientará diferentemente, posto que sejam humanos.

Em sendo o humano que se relaciona com Deus, que teve a experiência humana, o diálogo é absolutamente verdadeiro, entre o ser e Deus que fala por meio de Espírito Santo, o qual Jesus disse que enviaria após a sua partida...

Importa nessa reflexão que seja lembrado esse relacionamento do ser humano com Deus e que as pessoas o busquem, posto que o encontrem.

É no amor ao próximo que Deus se revela espontaneamente.

A experiência com Deus é a consequência viva, porque Deus está vivo.

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Sério questionamento, Yayá! Leio muito esse assunto em várias vertentes. Sêneca é uma delas. Aprecio. E, minha experiência com Deus, hoje, é registrada em meu modo de amar o próximo.
Abraço.