Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Mais Uma / Crônica do Cotidiano

Mais Uma / Crônica do Cotidiano

clip_image002

É a segunda vez que ouço a mesma queixa e o problema é real.

As mulheres que frequentam a musculação são as que sofrem do problema, que embora pareça frívolo, alteram o humor, quando não o peso, ou, ainda, os dois problemas em conjunto.

São mulheres que se cuidam e para manterem-se em forma praticam a musculação e se alimentam bem.

De repente, num dia qualquer, o médico avisa que os exercícios são excessivos.

Às vezes elas perdem peso e não percebem que estão com o corpo fora do peso.

Todas, sem exceção, dizem que se sentem mal quando não vão à academia, não fisicamente, mas, emocionalmente. Sentem-se descuidadas consigo mesmas durante o dia inteiro, quando, pela manhã, não fizeram exercícios.

Pessoalmente, parei quando me avisaram que eu precisava engordar, e quem avisou sabia daquilo que dizia.

Não é a moda que impõe essa condição, é o organismo que pede mais e mais exercícios, provavelmente pelo bem estar causado pelo mesmo.

Quando o exercício vira apoio psicológico sem limites, acontece o que se observa, principalmente, entre nós, mulheres. São mulheres adultas com o peso oscilando entre 45 e 49 quilos de peso numa altura média de um metro e setenta de altura.

Todas as observações são feitas de modo particular, sem critérios científicos, mas não se trata de anorexia. Essas mulheres comem de tudo, se bem que às vezes trocam o almoço pela festa de aniversário à tarde; a maioria de nós já fez isso alguma vez na vida.

O que eu sou contra é esse estresse por um dia de falta na academia de musculação descrito como sendo uma sensação de fracasso, de ter jogado o dia fora.

Escrevo porque recebi três convites para frequentar a academia, ginástica que está parada há anos. Prefiro caminhar tranquilamente, olhar a paisagem em volta, mesmo composta de edifícios e calçadas.

Não quero o cronômetro me dizendo a que velocidade eu estou na esteira e a velocidade máxima permitida para a minha idade e etc.

Também não digo que não valha à pena ir até a academia, vale! Desde que não seja um disfarce para problemas não resolvidos, não se resolve problemas emocionais com ginástica. A ginástica que se transforma numa ideia fixa não é boa.

Enquanto escrevo, uma diminuirá a frequência, a outra continuará correndo sabe-se lá quantos quilômetros ao dia e, a terceira, achou que era o ambiente e não a academia e simplesmente mudou de academia, não consegue ficar sem.

São conversas femininas a serem compartilhadas.

4 comentários:

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Nunca frequentei academia, já fiz hidroginástica e natação. Foram de grande utilidade, reconheço. Hoje faço caminhadas, com alongamentos, o que me bastam. Muitas vezes há exageros nas atividades físicas, chegando a "viciar", como se ler nas entrelinhas da sua oportuna crônica, Yayá. Importante, compartilhar esses "temas" femininos. Obrigada! Um abraço, da Lucia!

edumanes disse...

Mensagem de esperança
De felicidade e alegria
Yayá, Bom fim de semana
Com carinho e um abraço
Te desejo amiga.
Eduardo.

Célia Rangel disse...

Plenamente de acordo com você! Caminhar curtindo a natureza, as pessoas é muito melhor que ficar presa a cronômetros, balança e suplementos nutricionais... Liberdade de ação!
Abraço.

edumanes disse...

PARA A AMIGA Yayá.
Fim de semana domingueiro!
Amanhã vais estar mais suave
Como sou um bom cavalheiro
Nunca faço nada de muito grave
Venho aqui com boas maneiras
Como sempre educadamente
Com as minhas brincadeiras
Não desejo ser impertinente
Entro aqui em teu espaço
Com as mãos cheias de paz
Sempre tudo bem eu faço
Porque sou um bom rapaz
Por isso venho hoje e sempre
Te desejar bom fim de semana
Quem de quem saudades sente
A falta de quem o não engana!
Boa noite e bons sonhos
Abraços
Eduardo.