VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 21 de julho de 2013

Poema Sutil

Poema Sutil

lclip_image002

O momento é que pede passagem

E madura o seu fruto que espera,

Acolhido em verde folhagem

Que o protege de tola quimera.

 

O desígnio é o que altera a paisagem,

E através dos sentidos libera

O perfume de vida na aragem,

Através do espírito que pondera.

 

Do arredio dia se fez a paragem,

Ao sabor da maçã que supera

Esse ardil calafrio com coragem,

Sabedora ao sutil que se esmera.

Um comentário:

Mariazita Azevedo disse...

Assim somos nós - protegidos, pela folhagem, das agruras da vida.
Mas o tempo não pára...e a realidade surge quando menos esperamos.
Gostei!

Obrigada pela presença na minha «CASA».

Uma semana feliz.
Beijinhos

Mariazita