VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Águas Calmas

Águas Calmas

clip_image002

Não existem segredos

A se revelar;

Faltaram os meios;

Sobrou esse calar.

 

Sorrisos e medos

Num só sossegar,

De tantos desejos,

Ao verbo ondular.

 

Enfeites são Tejos

Ao tempo brincar,

Dizendo aos ensejos

Que corram ao mar.

5 comentários:

Célia Rangel disse...

... e nas águas calmas do mar... o aconchego do olhar!
Lindo o seu poema, Yayá!
Bj. Célia.

XicoAlmeida disse...

Cara amiga.
O mar tudo lava na sua espuma.
O mar que sinto aqui, frente a minha casa, igual a tantos, me ajudou na tristeza de tempos atras, com melodia.
Esperanca.
Hoje, oito da manha, mergulhei nele com a pessoa que amo.
E pareceu sussurar um bom dia.
Companheiro e confidente.

Rose Sousa disse...

Esse silêncio que sufoca o peito e que faz gritar a alma... lindo poema!
Aproveito e te convido a conhecer meus blogs, quem sabe goste de algum? Vim do Entre Blogs fazendo novas amizades aqui nesse espaço que nos permite encontrar pessoas que compartilham conosco preciosos posts. Tenha uma linda semana! bjs!

ONG ALERTA disse...

O mar encanta...
Beijo Lisette

Zilani Célia disse...

OI AMIGA!
ESTE MAR NO QUAL TODOS NAVEGAMOS, ORA COM ÁGUAS CALMAS ORA TURBULENTAS, NOS INSPIRA COMO O FEZ A TI, PARA QUE ESCREVESSES ESTES BELOS VERSOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/