VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

Mamãe Não Tem Tempo

Mamãe Não Tem Tempo

clip_image002

Por motivos de final de ano, com todas as comemorações, algumas mães ficam com a agenda esgotada e é a hora das crianças se divertirem com a falta de tempo da mãe.

Joaquina Ferreira monta a árvore de natal, toma conta do Sálvio, por ser o menor, de dois anos. Os outros dois Isabela e Flávio têm nove e onze anos respectivamente.

Isabela diz ao Flávio para não copiar o trabalho dos outros, é feio e mamãe não gosta.

_Eu vou copiar parte para ganhar tempo. Se mamãe está ocupada, eu também estou sem tempo para o final do bimestre.

Isabela avisa que copiar pode ser pior do que fazer um trabalho mediano, a nota pode ser mais baixa se o professor descobrir.

Flávio não liga para aquilo que a irmã diz, copia e assina.

_Você não é minha mãe, é mais nova e não tem a experiência que eu tenho em assuntos escolares.

Depois dessa resposta, a menina fica quieta, senão terá que chamar a mãe, que monta a árvore de natal. Se a mamãe vem, acaba a folga dos mais velhos, ela e o Flávio, que tem a obrigação de estudar, mas também podem brincar na cozinha sem ligar o fogão, não são bobos de chamar a atenção da mãe brincando com o perigo.

Flávio consegue a nota baixa, não por copiar, mas por copiar errado. O professor o chama à frente da sala e pede para que ele leia o seu trabalho sobre Cristóvão Colombo.

Ele lê sobre as caravelas e diz que a América foi descoberta em 1.493.

O professor o interrompe e pergunta de qual site da internet ele tirou a informação. Não havia site nenhum, havia era o trabalho do Geraldo do qual ele não poderia falar. Bem falante, o menino responde:

_Não lembro o site professor, mas sei que o nosso colega Geraldo, que sempre tira boas notas e pesquisa o dia inteiro talvez saiba. Se o senhor me permitir, dirijo a pergunta a ele.

Geraldo, estudioso, sabendo que o colega havia copiado parte do trabalho dele, arregala os olhos e responde:

_Eu pesquisei no site da biblioteca da escola onde diz que Cristóvão Colombo descobriu a América em 1.492. Eu sei que o Flávio também pesquisou, mas eu tenho que verificar o histórico para saber o site em que ele pesquisou.

Flávio, continuando a boa conversa, dirige-se ao professor:

_Esses detalhes de digitação fazem alguma diferença?

O professor diz que os detalhes de digitação não fariam diferença se ele, Flávio, tivesse observado à leitura, que havia se enganado. Como não observou o erro de digitação pareceu a ele que o garoto não sabia dos fatos do descobrimento da América.

Flávio teve a sua nota diminuída e passou de ano com a nota mínima necessária.

Isabela queixa-se à mãe dias mais tarde:

_Mamãe, adianta a gente ser criança, ter razão e ninguém dar ouvidos?

A mãe reconhece que não adianta ser criança, ter razão e dizer qual é o melhor caminho, somente os grandes, os adultos podem aconselhar as crianças. Isabela teria que crescer antes de poder aconselhar alguém. Mas lembrasse de que chamar a mamãe, às vezes, é quase obrigação, principalmente quando ela tivesse razão porque por ser criança não chamou a mamãe quando deveria, por ser criança deixou o Flávio decidir o que o prejudicou. Chamar a mamãe não é vergonha nenhuma para a criança, é uma necessidade. Disse também que a amava e compreendia. Quanto ao Flávio, depois que o Sálvio dormisse, iria até a internet conhecer melhor o Sr. Cristóvão Colombo.

3 comentários:

Célia Rangel disse...

... é o famoso Ctrl C X Ctrl V... favorecem uma preguiça mental levando ao "emburrecimento"... Infelizmente!
Bj. Célia.

La Gata Coqueta disse...



Gracias Amiga por estar siempre a mi lado con el aliento y la ternura de tus letras. Que nacen de un cálido corazón, como el soplo de una caricia matutina iluminando mi paso, con el aroma de las flores y el murmullo de la alborada, para que todos los días sean un arcoíris de diferentes apreciaciones donde lo positivo es su único referente.

Me despido, no sin antes decirte la persona tan extraordinaria que eres para mí…

No busques en las bibliotecas
Un libro que hable de la amistad,
Porque la amistad es una ciencia
Que emana del corazón
Y se extiende hasta el infinito…
Donde no existen cadenas
Ni fronteras que impidan
Compartirla con el sentido
De la integridad.

Atte.
María Del Carmen




Nelma Ladeira disse...

Olá bom dia!
Entrei para conhecer e fiquei encantada com tantas coisas bonitas aqui no seu cantinho.
Parabéns beijos.