VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Uno Divisível

Uno Divisível
clip_image002
Noite

À noite
Os gatos
São pardos,
Os becos
E os medos,
Sussurros
Espúrios;
Gemidos
Sem fim.
Xxx

Divisão

O preço da vida
Assim dividida
No dia, na noite,
É acinte e açoite,
Degredo, ausência
Do bem, da essência
Do amor; o egoísmo.
Xxx

Falso Profeta

Quem sabe a ferida
Da inútil corrida,
Não brinca na sorte,
Bem teme essa morte;
Galinha e panela,
Abelha e colméia,
Iguais no destino.

16 comentários:

Ivone Poemas disse...

Proposital esse lindo poema, pois é mesmo muito difícil encarar a noite a não ser dormindo litaralmente!!!
Essa foi a parte que me tocou, pois não vejo do mesmo jeito uma coisa que durante o dia sempre nos parece amena, mas à noite, ai, a noite!!!Acho que a noite é "açoite"!
Abraços amiga.
Ivone

Célia disse...

E, nisso tudo... vão será o destino do desatino humano! Inteligente o seu poema, Yayá!
Abraço, Célia.

Ingrid disse...

perfeição Yayá..
divisões e sentidos sentimentos..
beijos.

Sonhadora disse...

minha querida

Como sempre é nas entrelinhas que se decifram as palavras.Adorei e deixo o meu beijinho com carinho.

Sonhadora

Jorge disse...

Escrita gostosa!
Uma boa semana aí.

Marcos Souza disse...

Oi querida amiga. Lindos poemas. Saúde e paz. Bjs

Michele disse...

Gostei da tua poesia! Pareceu-me que ela escoa natural.

Um abraço

Ivana disse...

Yayá, boa noite!
Muito inteligente seu poema, um abraço, e uma semana maravilhosa pra você.

lis disse...

Quadras inteligentes Yayá como bem diz nossa Ivana.
falamos sempre que a noite os gatos sao pardos mas bem os vemos todos!rs
e seus gemidos estão por todo lado!infelismente.
grande abraço e boa semana

Elizabeth disse...

Cuánto coincidimos las almas enamoradas de la poesía. Te abrazo amiga querida compartiendo un latido indivisible.

Celso Mendes disse...

Gostei dos três; muito bons e fluentes. O primeiro, em especial, achei uma delícia...

beijo.

A VIDA É UM ETERNO APRENDIZADO disse...

Olá!
Fiquei muito feliz em conhecer o seu blog.
Gosto muito de ler textos e poemas, isso faz com que eu cresça cada dia mais.
A vida se torna interessante, à medida que encontramos pessoas como você.
Grande abraço
Se cuida

Fabrício Santiago disse...

assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Krasivo. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs

Narroterapia:

Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.

Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

Abraços

http://narroterapia.blogspot.com/

Patrícia Pinna disse...

Boa noite, Yayá. Eu gostei muito do seu poema, seus versos bem colocados e a sua inteligência, que vejo não só no que escreves, como nos comentários que fazes, em específico o que fizestes no meu poema chamado "JURAS VAZIAS".
Na sua simplicidade demonstra quem és!
Um beijo na alma, e fique com Deus!

Elisa T. Campos disse...

Querida yayá
Gosto de seus poemas assim.

Parabéns.
bjs

Aline Santos disse...

Adorei o jogo de palavras, jogadas aleatoriamente, mas sem preder o nexo que dá sentido a noite em si!
Gostei! =)