VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quarta-feira, 21 de março de 2012

A Lição do Dia a Dia

A Lição do Dia a Dia
clip_image002
A gente aprende sem querer. Não precisamos sofrer para aprender muito do que a vida e o dia a dia nos têm a ensinar.
Ontem, ao arrumar a cama, logo cedo, observei algo parecido com um fiapo sobre o lençol. No entanto, o fiapo era escuro e por via das dúvidas pequei uma folha de papel e bati sobre o fiapo. Quando retirei o fiapo, era um filhote de aranha devidamente carimbada.
Ocorre, que em Curitiba, temos uma praga chamada aranha marrom. Esta aranha causa ferida e pode até paralisar os rins de uma pessoa adulta.
No momento pensei que estava calor, época propícia para as aranhas se esconderem dentro das casas, elas gostam de ambientes frescos. Se eu achei a aranha filhote, logo apareceria a aranha adulta. Alertei a família para que verificasse as roupas e sapatos antes de vestirem-se, mas ninguém achou nada.
Hoje pela manhã, ao lavar e enxugar o rosto eu vi a aranha, andando num canto entre a parede e o chão do lavatório. Pensei comigo mesma: perigosa até no andar. Esta aranha somente morre levando chinelada e não se pode pegar o bicho com as mãos depois de morta.
Na segunda tentativa acabei com ela. Peguei um pedaço de papelão, juntei-a dali e levei até a lixeira, que imediatamente foi levada para a rua. Aranha bota ovos.
A constatação é esta: depois de alguns cupins, a gente encontra o ninho e depois do filhote, você encontra o adulto. A gente deve e pode desconfiar após descobrir um inseto dentro de casa. Algo está errado e, às vezes, você descobre no dia seguinte.
Reflito que o conselho antigo de manter armários trancados e gavetas também protege o morador de se surpreender ao pegar as suas coisas. Não custa nada repetir um bom conselho, então repito. A prevenção é econômica, ajuda a saúde e liga a desconfiança sobre o que pode estar errado.
Em síntese: antes ser chamado de “chato” (inconveniente) do que ter que “pagar o pato” (pagar com sofrimento sem o merecer).

17 comentários:

Sandra disse...

Eu detesto aranhas, tenho fobia.
Obrigada pelo conselho :)
Beijoca

Manuela Freitas disse...

Eu já não vejo uma aranha em casa há muitos anos e por cá as mesmas são inofensivas! Fiquei arrepiada Yayá!kkk Por aqui não há muito inseto, de vez enquanto formiga, mosca, centopeia (esta é horrorosa)...meu gato resolve o assunto! kkkk
Beijinhos e obrigada pelos teus gentis comentários!
Manuela

Sonhadora disse...

Minha querida

Tudo o que se faz com carinho e amor é poesia...não é só quem rima com as palavras que é poeta...a poesia está em cada alma...em cada gesto...em cada coração.
Parabéns pelo dia da poesia.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

OceanoAzul.Sonhos disse...

A vida é uma eterna aprendizagem.

Obrigada pela tua escrita, dicas, conselhos, obrigada pela tua presença.

abraço
cvb

Lindalva disse...

Uma lição que requer uma reflexão. Boa noite amiga vim validar teu voto no pena de ouro. beijos perfumados!

Célia Rangel disse...

Sua informação é muito válida, pois os que ignoram muitas vezes sofrem as consequências. Valeu!
Bj. Célia.

Paulo disse...

Geralmente a aranha marrom fica alojada fora das casas entre a parede e telhas ou qualquer outro objeto encostado à ela. Mas já vi uma população enorme invadir uma residência.
Aqui, temos outras aranhas peçonhentas.

Um abraço.

Elizabeth disse...

Quizás lo que más me gusta de tu hermosa manera de escribir es tu hermosa manera de ser que queda evidenciada a cada paso. Muchas gracias por inspirarme. Eres sublime.

aluap disse...

Obrigada Yayá pela lição/informação, vou estar mais atenta no meu dia a dia.

edumanes disse...

A lição do dia a dia,
Todos a vamos aprendendo
Uns com mais outros com menos alegria
O que mais importa é irmos vivendo!

E uns aos outros respeitando
Porque o mundo a todos pertence
E não só aqueles que nos estão explorando
Como nalguns casos acontece.

Desejo uma boa noite para você.
Um abraço
Eduardo.

Ivone Poemas disse...

Yayá, muito boa essa postagem, aqui em São Paulo é difícil encontrar aranhas dentro de casa,mas na casa da praia eu sempre encontro as bem minúsculas, com teias, vou passando a vassoura em tudo, mas ainda não observei isso de aranhas marrons!!!
É bom saber do perigo que isso nos causa, pois realmente o que nos mata é a ignorância, com certeza aprendi algo aqui!
Abraços.
Ivone

Graça Pereira disse...

Dicas fabulosas e agora que começou a Primavera, é ver a "arca de Noé" entrando pelas janelas abertas!!
Beijocas
Graça

Bergilde disse...

Ótima lição Yayá!
Toda atenção mesmo nas mínimas coisas como uma faxina por exemplo.
Abraço carinhoso,

Professora Maria Simões de Brito disse...

Yayá, a sabedoria é a rainha das virtudes, "porque melhor é a sabedoria do que jóias e tudo o que se deseja nada se pode comparar com ela" Pv 8:9

Um grande abraço, querida!

Artes e escritas disse...

O comentário da Bergilde merece a explicação: Essas aranhas fogem do calor e se refugiam em locais frescos. São de tamanho médio e não muito ágeis e morrem com as chineladas. Tem gente que tem que se internar por alguns dias no hospital para tomar cortisona. É pavoroso. Tentarei postar uma foto dela editando o post. Um abraço a todos, Yayá.

@ Escritora disse...

Tenho pavor de aranhas, sorte que vc viu.

Bjos

Elisa T. Campos disse...

Eu vejo as vezes entre árvores do jardim teias de aranhas que logo as desfaço, com receio de a minha gata
encontrá-las.
Obrigada pelos conselhos.

Bjs.