VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Omissão

Omissão

clip_image002

Quem se omite quando precisa dizer

Onde a falha grita, não sabe a criatura

Que protege; esconde-se desse mister

De reveses, vezes sem fim, na aventura.

 

O silêncio soma fraquezas ao obter

Desavisos múltiplos sob a ruptura

De intenções não ditas, ocultas ao ser

Contemplando um risco em meio à desventura.

 

Benefícios vários se mostram e vêm

Dos cuidados que abrem os olhos à vista

Na distância justa conforme convém.

 

Prevalece o gesto que pinça de alguém

A bravura ciosa de afeto que pisca,

Um sorriso ao abrigo que o amor avalia.

21 comentários:

CEM PALAVRAS disse...

Yayá,
Fiquei uns dias afastada e quando volto fico sem nem saber o que comentar. Você que navega por todas as formas, sempre me surpreende.
Do concreto ao tradicional soneto, da prosa ao poema...
Só posso dizer Parabéns!!!
muitos beijos

Célia disse...

Só mesmo com muito amor perdoa-se a omissão.
Abraço, Célia.

Eloah disse...

Querida a omissão é fatal.Cedo ou tarde há de machucar.Belo poema! Lindos os vídeos.Adoro música clássica.Saio daqui encantada e com a alma alimentada ao som destas músicas maravilhosas.Amei!
Tenhas uma semana feliz.Bjs Eloah

Yasmine Lemos disse...

Seu poema é muito filosófico,relata muito da nossa realidade trágica.parabéns!
meu beijo

Sônia Amorim disse...

se omitir muitas vezes significa covardia ou apenas timidez, amei o texto, beijos

PauloSilva disse...

Só a falha se esconde ou a obscuridade de um pensamento. Eu penso desta maneira. Ou então, um grande sentimento se apodera, não sei.

Lindo poema. Um beijo *

aluap disse...

“Quem se omite quando precisa dizer” é uma simples frase que retrata bem a mentira, as aparências e o medo de falar, em que por vezes o ser humano vive.

Abraço

Fatima disse...

Nunca consegui me omitir.
E olha que as vezes queria tanto fazer cara de paisagem, mas não consigo.
Lindo poema!
Bjs.

Marly Bastos disse...

O silêncio às vezes é dádiva, a omissão concordo que seja o maior sinal de fraqueza que podemos ter em relação a alguém ou alguma coisa.
Bjks

Valéria Sorohan disse...

Me fez lembrar da minha avó materna, que nunca se omitia, era brava, sabia falar não como ninguém. Me passou valores que levarei para sempre.

BeijooO*

Nathy Costa disse...

de nadaaqui tem um texto que gosto muito
se der leia.
bjo!

http://paraneura.blogspot.com/2011/09/para-os-ultimos.html

Lídia Borges disse...

Há uma marca pessoal na tua poesia que muito me agrada.

Um beijo

Graça Pereira disse...

O silêncio soma fraquezas...que verdade!! Falhamos por omissão, tantas vezes... vitímas da nossa cobardia!! Na fuga, nada se aproveita! Um poema rico de valores e sentimentos. Subscrevo-o totalmente Yayá! (Adoro o teu nome...já te tinha dito?)

Beijo

Graça

Néia disse...

Olá Yayá...
Hoje em dia acabamos naturalizando todos os sentimentos, economizando nas palavras e diálogos e muitas vezes sem perceber se omitindo da vida. Viver é muito complicado...
Beijos e agradeço a visita

Majoli disse...

Yayá, um soneto que nos leva a meditar e tentar realizar mudanças, saber falar, tentar não usar de omissão, pois na maioria das vezes muito estrago ela faz.
Beijos com carinho.

Zélia Gadelha disse...

Oi Yayá!
Omissa é como me sinto diante de você... Por isso vim atenuar minha falta e li várias postagens pra me redimir rsrs... Mas ler você só me encanta e dá prazer! Adorei o poema! Bjusss

Jopz_B1B disse...

OLAZ, bem escrito, impossível se omitir de comentar... showz,

JOpz

Vera Lúcia disse...

Olá Yayá,
Omissão é sinal de fraqueza e covardia.
A própria mentira é uma forma de omissão. Por isso creio que a maioria dos seres humanos se omitem em determinada ocasião de sua vida.
Até como cidadãos somos omissos.
Linda a sua poesia!
Beijos.

denise dutra disse...

"O silêncio soma fraquezas",mas as vezes o silencio é a melhor atitude que podemos ter .

Luis Bento disse...

há silêncios que pesam e palavras que perduram. Levo as tuas guardadas na memória de um belo texto filosófico e sensível.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Olá Yayá. Penso que quando omitimos ou mentimos, fazêmo-lo connosco directamente, pois não aceitamos as nossas próprias decisões... mas somos humanos e falhamos muitas vezes, mau é quando não temos consciência disso.

Como sempre magnificas suas palavras.
beijinho
oa.s