VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Revista Somos Espejos

É com imensa satisfação que convido os blogueiros amigos a visitarem a primeira edição da Revista Somos Espejos, organizada pelo escritor premiado Gonzalo Saleski, que me concedeu a honra de publicar dois poemas postados neste blog.

Revista Virtual Somos Espejos

Gonzalo Saleski é um escritor nascido em Córdoba (1.978), Argentina, autor de dois livros: 2011 e Presagio de Luz, ganhador de vários prêmios literários na Argentina, México e Espanha.

Gonzalo cria, a partir deste semestre, uma revista literária com autores latino-americanos chamada Somos Espejos, uma revista virtual, que pode ser baixada através de download no próprio site: www.revistasomosespejos.blogspot.com

Junto com a primeira edição da revista, é lançado um concurso literário cujo regulamento e normas de inscrição são acessadas no site da revista.

Gonzalo é um escritor que tem a sua obra lida e comentada no Brasil, como podemos verificar acessando o site Bonde e lendo os artigos da escritora Isabel Furini: http://www.bonde.com.br/?id_bonde=1-31--28-20110312&oper=history#3503

Os livros 2011 e Presagio de Luz, do escritor estão disponíveis para download no blog do escritor: www.gonzalosaleski.blogspot.com São livros de luz e poesia.

A revista Somos Espejos na sua primeira edição contém textos de escritores de vários países, é uma nova esperança para as revistas de cunho literário, que a duras penas resistem em um mercado de edições comerciais. Esperemos que iniciativas culturais corajosas e, de certa forma, na vanguarda pós-moderna do momento cibernético no qual vivemos, sejam bem vindas aos amantes das escritas; são iniciativas que unem os povos, que criam um diálogo entre as culturas através da língua escrita através do mundo virtual.

Não tenho dúvidas que a cultura do nosso tempo será contada em arquivos digitais de excelente qualidade. Quero salientar que o pensamento está livre de todas e quaisquer amarras limítrofes e circula por entre a aldeia literária livre, como um ideal.

Nenhum comentário: