VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 15 de julho de 2012

Irresistível Coação

Irresistível Coação
clip_image002
Estava eu na fila do supermercado ontem, dia em que o mercado lota de gente. Comprei o que queria e fui para a fila. No caminho demorado até o caixa, observei um pacote frio sobre a estante ao lado.
Pensei na desistência da compra, peguei o pacote e iria chamar alguém para levar novamente ao refrigerador para que o produto não estragasse. Ah, a fila é boa nestes dias frios, é o calor humano substituindo o congelador ambiente, detalhe que não posso deixar passar.
Voltando ao assunto, era um pacote de queijo coalho e estava observando o produto, quando a gentil senhora logo atrás na fila disse:
_Queijo Coalho! Eu não sabia que existia queijo coalho aqui no sul.
Eu sorri e mostrei a ela o pacote.
Ela, com o seu olhar contente, continuou a conversa:
_Compre.
Desta vez fui quem a olhou com ar de surpresa.
_Eu sou do nordeste, estou aqui visitando os pais do meu marido, todos na família dele são gentis comigo. Entendeu? Compre.
Eu fiz menção de que não havia entendido.
_A senhora já comeu queijo coalho?
Eu respondi que no pacote estava escrito que era para churrasco e eu não tinha churrasqueira em casa. O fato é que até hoje eu não havia comido o tal queijo.
_Por favor, compre o queijo, coloque-o na frigideira sem óleo. Ele não derrete e fica tostado e crocante por fora e é uma delícia.
Perante a descrição do produto, senti vontade de comer nem que fosse um pedaço pequeno, provar um novo sabor alimentício para ter uma opinião formada, mas, ainda assim, hesitei e com um gesto de mãos perguntei o motivo.
Ela me disse que se eu deixasse o produto ali, ela compraria. O sabor não seria igual ao da sua terra, o calor estava longe e ela começaria a chorar de saudades. Ela magoaria a família do marido que era tão gentil com ela.
Eu disse que ela poderia disfarçar e levar de presente para a família dele.
_Disfarçar?! Bem se vê que a senhora ainda não comeu este queijo. É impossível disfarçar a saudade, a barraca da dona Zefinha, as brincadeiras que ela faz. Eu me conheço, certamente serei mais saliente que semente de morango. Eu não o posso levar.
Sinceramente, ela me emocionou com aquele seu jeito bom de ser. Sorri encabulada, é tão gostoso encontrar gente de boa fé, que até dá vergonha do mundo estar do jeito que está, se bem que não tenho a menor culpa do mundo estar virado de cabeça para baixo; eu não planto bananeiras.
Ela me acordou destes meus líricos pensamentos:
_Está quase na sua vez, por favor, decida-se antes que eu pegue o pacote das suas mãos e os coloque no meu carrinho, o que será muito triste! Pode ser até trágico eu levar queijo coalho enquanto a amada sogra prepara um barreado que ela aprendeu a fazer em Morretes, uma cidade próxima ao litoral de vocês.
Eu conheço a cidade de Morretes, eu comi barreado com farinha e banana. Ainda com o pacote nas mãos, o coloquei no carrinho e disse:
_O queijo coalho agora é meu.
Ela, bastante simpática:
_A senhora não se arrependerá de tê-lo comprado. Desejo para a senhora e sua família um saboroso final de semana pensando no nordeste brasileiro, no calor, na alegria de um povo festeiro, bem humorado apesar de todo o sofrimento da seca, de gente que fala por falar, que gosta de se entrosar e ser feliz.
Desejei um lindo final de semana a ela e mais que isso, consegui me ver nela.
Agora, me deem licença que me vou novamente ao queijo.

Ps. Barreado: comida típica do Paraná, feita com carne cozida lentamente em panela de barro.

12 comentários:

Eloah disse...

Realmente esta foi uma irresistível coação.Agora, tenho certeza que não te arrependeste.Queijo coalho é bom demais!
Tenhas uma linda e criativa semana.Bjs Eloah

Ivone Poemas disse...

Yayá, que saudade, lindo texto, eu também adoro queijo coalho!
Amei a prosa, me senti entre vocês, nesse papo descontraído, conhecendo pessoas, amo as pessoas do nordeste,ou melhor, amo esse País inteiro, lindo!!!
Abraços amiga e obrigada sempre pelo carinho de sua amável visita e comentarios!
Ivone

Mona Lisa disse...

Nunca comi!

Adorei o teu relato!

Beijos.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Nunca comi mas fiquei com água na boca :)
A simplicidade e pureza nas pessoas, ainda existe, lindo texto.

bjs
cvb

mfc disse...

Não conhecia e comprarei quando encontrar!
Beijinhos,

aluap disse...

Não gosto de qualquer tipo de queijo, mas como aceito bem a novidade, se o produto fosse outro tbm era bem capaz de o comprar para experimentar.
Um texto bem feito, que me levou até ao supermercado, mais concretamente à fila.

Um abraço.

La Gata Coqueta disse...

A mi me gusta cualquier tipo de queso y servido de cualquier forma.

Gracias por dejar la presencia de tus huellas en uno de mis jardines.

¡¡Bienbenida!!

Un abrazo

María del Carmen

Antonio Pereira Apon disse...

Olá.

Seu Blog faz parte de nossa homenagem ao dia do amigo nesse 20 de julho em nossa postagem: Blogando entre amigos. E antecipando as comemorações do dia do Blog. Te convido a participar de uma blogagem coletiva no dia 31 de agosto, com o tema: Blogando entre amigos.

Um abração.

Marisete Zanon disse...

Que senhorinha mais insistente, mas amável... E então? Como ficou seu queijo coalho? Eu amo. E amo também suas crônicas, sempre divertidas. Um carinhoso abraço querida...

Sonhadora disse...

Minha querida

Nunca provei, mas deve ser muito bom mesmo, adorei o texto como sempre.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Jopz_B1B disse...

acho otimo. faço no grill eletrico geralmente usado p sandubas

Elisa T. Campos disse...

Coagida com leite coalho. Muito bom o seu texto.
É uma delícia feito assim . Sempre esquento na panelinha de fritar ovos.

Parabéns.
Um lindo dia para você.
Bjs.