Loading...
Loading...

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Momento Sorveteria / Crônica do Cotidiano

Momento Sorveteria
clip_image002
Entraram na sorveteria a mãe, os filhos e uma das avós.
Pelo que contavam o filho, marido e pai fora buscar o carro que estava estacionado próximo do lugar.
Os pés da avó estavam inchados devido ao calor e aos passeios pela cidade. Estavam vindos de algum parque.
Conversavam avaliando a viagem, o que viram e o que veriam no próximo dia.
A senhora mais velha queria ficar sentada e tomar água enquanto esperava os demais se sentarem. Os sorvetes seriam tomados quando a família estivesse reunida.
A mãe dos jovens sentou-se junto à senhora e reclamou do calor. Disseram a ela que Curitiba não era uma cidade quente e o calor a surpreendia, também estava cansada.
Os jovens ficaram em pé junto à porta, aguardando que o pai deles chegasse com o automóvel para estacionar na frente do estabelecimento.
A conversa deles era interessante porque dizia das avaliações da viagem deles até Curitiba.
Os jovens conversavam sobre os próximos lugares a serem visitados e onde iriam gastar o dinheiro deles. Não compraram nada até então, queriam ter certeza de que não se arrependeriam dos gastos com as lembranças para os amigos.
A mãe dos jovens e a senhora combinavam as possíveis horas de descanso, nas quais os jovens sairiam e elas ficariam no hotel sob o ar condicionado. Também comentaram o preço do local.
Não é propaganda, mas, temos em Curitiba ótimas sorveterias onde se toma quantos sorvetes se quiser, com várias opções de cobertura, com um gasto único, são casas que cobram por pessoa, não por sorvete.
Dificilmente estou numa sorveteria por aqui, Não fosse uma colmeia de abelhas instalarem-se próximo a minha casa e a minha constatação e reclamação, eu não estaria nesse bom passeio que me manteria longe da operação de retirada da colmeia.
. O chefe da família chegou à sorveteria. Entre refrescos e sorvetes avaliaram as condições da viagem tais como hotel e serviços oferecidos pelo mesmo.
Todos deram sugestões sobre os próximos locais a serem visitados. Conversaram sobre gastos e restaurantes de diversos custos.
Sentiam-se à vontade e sentiam-se bem, apesar do cansaço.
Essa é uma crônica que, aparentemente, não tem nada de especial, mas aí é que está o engano.
Aquela família tirou alguns momentos de descanso para que todos fizessem uma avaliação sincera das suas expectativas para que o passeio até Curitiba fosse bom até que eles voltassem à cidade onde eles moram.
Passeios bons são conversados antes, durante e depois entre os participantes.
A boa disposição do também motorista da família foi admirável.
E o meu pensamento voltado às abelhas, voltou-se para a descontração necessária em meio ao cansaço.

2 comentários:

Evanir disse...

No silêncio deste dia venho pedir-te paz,
sabedoria e força .
Quero olhar hoje o mundo com olhos
cheio de amor, ser paciente, compreensiva, mansa e prudente,
ver além das aparências teus filhos como Tu mesmo os vês e,
assim, não ver senão o bem em cada um.
Que só de bênçãos se encha meu Espírito.
Que eu seja bondosa e alegre a todos
quantos se achegarem a mim .
Reveste-me de Tua beleza, Senhor, e que,
no decurso deste dia, eu Te revele a todos.
desejo uma paz infinita para seu coração.
Uma continuação de semana abençoado.
Com muito carinho deixo aqui meu abraço.
Na postagem deixei um mimo.
E no caso de você aceitar
tenha certeza ficarei feliz.
Evanir..
Amiga adorei ler sua postagem imaginei nesse calor como ia engordar com esse sorvete.
amada conheço Curitiba uma das mais belas cidade onde tudo que se vê é linda e uma cidade limpa .
aqui apesar da fama pelas lindas praias conhecida em todo mundo a sujeira impera por todo lado.
No final de tare da nojo dos lixos deixados nas praias .
A cidade com uma prefeita que da desgosto.

Antonio Pereira Apon disse...

A aparente simplicidade pode guardar profundas reflexões.

Um abração.