Loading...
Loading...

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Livros de Autoajuda?

Livros de Autoajuda?

clip_image002

Mudando de assunto. Livros.

Por qual motivo não temos a matéria de Literatura Universal nas escolas?

A matéria de Literatura Brasileira é obrigatória e há um roteiro de livros para o estudante secundarista. Aprendemos os regionalismos e a convivência com todos os nossos conterrâneos.

Penso que a Literatura Universal nos permite a identificação com as culturas que podemos ou não nos adaptar.

É de fundamental importância sabermos antes sobre o que podemos ou o que não conseguiremos nos adaptar.

A diversidade cultural é necessária, mas podemos escolher em acordo com a educação que recebemos.

São livros bons, de autores clássicos, que deixamos pela metade em alguma prateleira esquecida, porque nos enfadam a cada página. Tenho alguns livros deixados a quem quiser os ler e tenho outros que não empresto à ninguém.

A Literatura Universal nos aproxima de diversos países e dentre eles, deveria ser obrigatória a leitura de acordo com a expectativa do leitor de pelo menos um livro das culturas portuguesa, francesa, inglesa e russa. Depois viriam os livros americanos e os orientais. Se bem que, nesse caso, a ordem dos fatores não altera o produto, é multiplicação.

A leitura da Literatura Universal nos coloca frente a frente com situações diversas das diversas culturas. O fato é que a gente se lê enquanto lê um livro.

Há situações pouco polidas que a gente aceita, corresponde a nossa cultura. No entanto existem situações que se confrontam com as ideias concebidas. Aí é que está o macete: a gente pode evitar as situações que surgem, mas que foram lidas em algum livro dessa ou daquela cultura que difere da nossa. Também existem situações inevitáveis, também lidas nos livros, mas pensadas durante a leitura e com a resposta formulada ideacionalmente para aquela situação, o que facilita a condução dessa ou daquela questão.

É autoajuda porque é autocrítica, e não posso dizer de ninguém que não eu mesma, porque quem comprou o livro fui eu. Não consegui ler Al Gore e farei algumas tentativas e, talvez desista de ler e passe para outro livro, ainda não sei.

Mesmo assim a minha cultura é próxima a essa cultura. Tudo bem com Mark Twain.

A autoajuda nasce da formulação das conjunções e disparidades entre as ideias dos autores e as nossas. As hipotéticas situações idealizadas de forma lúdica e recreativa nos possibilitam melhores condições para lidarmos com a realidade.

2 comentários:

Jossara Bes disse...

Oi Yayá!
Interessante!
Ler é uma coisa que me fascina! Gosto de perguntar o que as pessoas costumam ler.
Concordo com sua reflexão! Ler autores estrangeiros é uma forma de abrir horizontes do pensar!
Seja muito feliz!
Beijos!

Tissiano Tiseruus disse...

Precisamos sair dos enlatados Facebook, YouTube,e outros e voltarmos a ler mais.