Loading...
Loading...

sábado, 30 de julho de 2011

Uma História de Amor - Sahrãzãd

Uma História de Amorclip_image002

Sahrãzãd

A literatura estrangeira propicia o conhecimento de outras culturas, mas essa alegria em particular, é proporcionada pelos 3 volumes da obra LIVRO DAS MIL E UMA NOITES, com a tradução feita pelo professor da USP Mamede Mustafa Jarouche para a língua portuguesa, livros da Editora Globo.

Essas edições são acompanhadas por anotações nas laterais das páginas explicando as diferenças entre o ramo sírio e egípcio nas histórias. Verifica-se um imenso cuidado dos estudiosos das culturas com os manuscritos originais e à sua compilação. O cuidado em não modificar palavras e intenções é de uma delicadeza que comove o leitor antes mesmo da leitura.

Esse é um livro de amor e quero ressaltar o que ainda não foi dito, apenas sentido. Sahrãzãd (Sherazad) conheceu um grande amor desinteressado e dedicado, talvez o maior amor de todos os tempos entre duas irmãs. O apoio de Dinãrzãd foi especial e, embora não dito, mostrava-se em presença, audiência e constância. Foram mil e uma noites dedicadas à vida da irmã, incansável e fiel a todas as histórias. Tenhamos a certeza que, sem Dinãrzãd, Sahrãzãd não seria tão criativa e talvez não tivesse suportado a incerteza da sua sobrevivência todos os dias e noites.

Com o apoio da irmã é que adentramos esse mundo mágico com califas, mercadores, dançarinas, bandos de ladrões, esconderijos e Ifrits (a personificação das entidades místicas).

Imaginem um lugar onde a salvação seja convencer o algoz do contrário senso arrazoado por ele mesmo. Além disso, a humanidade é questionada em suas enganações e artimanhas. A maldade se impõe nesse “mundo” como um fato a ser aceito e resta às vítimas fugirem ou se socorrerem com algum artifício, ou contar com a ajuda do invisível (Ifrits), quando essa ajuda invisível não seja a causa das dificuldades, o que ocorre inúmeras vezes.

A generosidade também existe porque quer e ninguém obriga o ser humano a ser bom. A generosidade nasce espontaneamente pelo amor entre os seres.

Em suma, são histórias que sugerem a vida como uma saída para a prática do próprio bem. O amor homem-mulher, curiosamente é colocado num patamar inferior ao amor pela humanidade, de fazer o bem graciosamente, ou por se irritar com o mal.

Guardemos dessa obra o carinho e a dedicação dos autores anônimos, do tradutor dedicado, da confiança entre as irmãs, confiança essa que salva.

Quem puder ler que leia com tempo para se resgatar e se renovar de todos os sofrimentos, com tempo para compreender que o diálogo sempre é possível, mesmo quando em lugares absurdos.

18 comentários:

tecas disse...

Querida amiga,excelente opinião sobre um livro de amor. Ainda não li e desconhecia. Fiquei com curiosidade de o ler.Deve ser muito interessante. Vou procurar na Fanc a ver se lá o têm.
Tenho tentado por diversas vezes comentar e ser sua seguidora e não consigo. Diz que o blog foi removido. Hoje consegui comentar:) Vou de seguida ver se consigo segui-la.
Bjito e uma flor.

Andre Martin disse...



Bela resenha com seu toque pessoal!

Mil e uma Noites é uma das obras mais lidas do ocidente! Juntamente com as narrativas de Marco Polo ou as aventuras de Júlio Verne, arrebatou a imaginação de quem leu e ouviu suas histórias, e se deixou levar junto em viagens fantásticas em seus sonhos.

O que você descreve é a linha central que costura as mil-e-umas estórias, o mote principal que solidifica o livro de contos dispersos, colhidos da tradição oral, sejam inventados ou recontados.

Mas acho que até esta trama é mais uma das estórias do livro, genialmente contada assim.

Sabe o que eu leio nas entrelinhas das Mil e Uma Noites? Um modo de viver antigo do oriente (persa, árabe, sírio, babilônico, turco, etc) que é o prazer de contar histórias, suas próprias ou de conhecidos ou que se ouviu falar, todas as vezes que você se encontra com amigos, parentes, ou é convidado para visitar a casa de alguém. Um hábito que se perdeu, ou pelo menos se atenuou. A televisão, cinema, internet, roubou muito deste espaço, onde as histórias e estórias habitavam: de pessoa para pessoa.

Esta obra milenar resgata isto: esse jeito de contar fatos e aventuras, de passar a fazer parte da vida do ouvinte próximo, de deixar sua versão de si.

Ótima recomendação. Parabéns!

Andre Martin disse...



Eu também me atrevi a fazer uma análise de uma obra épica de Arthur Clarke.
Não conseguir ser assim suscinto, precisei de dois longos posts (rsrs).
Se quiser e se tiver paciência para ler, caso tenha interesse no tema:
3001 (parte 1 de 2)
3001 (parte 2 de 2)

CLEMENTE GERMANO MULLER disse...

Oi querida amiga. Passei por aqui para dar uma espiadinha neste teu belo cantinho e te desejar um ótimo domingo. Beijos.

CEM PALAVRAS disse...

Parabéns,Yayá!
Ótima resenha.
beijos

Marinela disse...

Gracias por tus palabras en mi blog.
He leído tu opinión del libro y me ha gustado.
Hace años que lo leí y me gusto mucho. Una bella historia de amor.

Un abrazo.

valquiria silveira disse...

Gostei muito do teu blog...estou te seguindo. Gostaria muito de ti ver no feita poesia que é um pouco de mim se gostar me segue e comenta vou ficar muito feliz:http://soueufeitapoesia.blogspot.com/
...Um dia iluminado fica com papai do céu bj !

Flor da Vida disse...

Amada, muito sábia e valiosa a sua sugestão.
Belas as suas palavras!

Carinhos muitos pra ti.
Beijos de flor
Suelzy

FABIANO disse...

A arte da palavras quando escritas com paixão se torna mais linda, quem sabe não para os outros mais é muito importante para si mesmo.

@ Escritora disse...

Olá,

Parabéns pelos belos textos do seu blog!

El Escritor disse...

Hola amiga querida! Paso a dar una espiadinha a tu blog, como siempre!!

Abrazo y beso!

Aclim disse...

Grande contribuição. Na verdade sempre tive curiosidade em saber porque "mil e uma noites" é considerado erótico. Você esclareceu, falta de conhecimento na interpretação ou talvez um olhar erótico sobre uma história de amor fraternal.

Abraço

Severa Cabral(escritora) disse...

oi minha linda e querida amiga!
Um grande livro! Mas enche sempre a alma dessa esperança que é dada pelo Destino e quem sabe?...Acreditar faz milagres!
Um poema suave e cheio de valores!
Bjs

Lídia Borges disse...

Uma boa proposta para leitura de férias.

Obrigada

Um beijo!

Nair Morbeck Sobrinha disse...

Amei seu blog e as postagens de muito bom gosto, já me faço sua seguidora, seria uma alegria a sua visita...


Shalom

http://nairmorbeck.blogspot.com/

Rodolfo Cuevas disse...

Saludos, estimada Yayá:
Muy precioso escrito éste. ¿Sabes?, cuando tuve la oportunidad de leer LAS MIL Y UNA NOCHES aprendí mucho, son historias fascinantes, en las cuales hay muchas enseñanzas sobre moral, solidaridad y lealtad para con el prójimo. Ciertamente es una obra fabulosa.
Mis abrazos tiernos, para ti, querida Yayá.

Paulo Francisco disse...

Interessante resenha, fiquei curioso.
Um beijo grande

OceanoAzul.Sonhos disse...

Obrigada pela sugestão.

Tenha uma boa semana.
um abraço
oa.s