Loading...
Loading...

terça-feira, 12 de julho de 2011

Refletindo a Honestidade

Refletindo a Honestidadeclip_image002

No meu conceito, “a honestidade é a sinceridade de propósitos consigo mesmo respeitando os valores filosóficos do outro e as determinações impostas pela regulamentação legal para a boa e justa convivência em sociedade”.

Sendo assim, o caráter de tudo o que é honesto não se reflete em temer a regulamentação, quando esta é feita em caráter democrático e que respeita as diversas condições sociais. O caráter do que é honesto teme, entretanto, tudo o que transgride as condições determinantes da honestidade, porque essa transgressão faz perecer a sociedade transformando o que é tragédia em um cotidiano normal. E, quando a tragédia sai do seu estado natural, que é a vulgarização da transgressão em um determinado momento inadequado, os partícipes dessa mesma sociedade entram em conflito de ideias e valores partindo para uma reação de instinto e não de raciocínio criando a sensação de permanente tensão.

O honesto pode ser considerado um simples, mas nesta indicação de simplicidade se verifica e constata a previsão de um comportamento regular e aceitável perante a sociedade em que este vive. E, numa sociedade onde esse comportamento regular e honesto se encontra, as possibilidades de progresso surgem da própria condição do agir em conformidade de padrões. O honesto, pela própria simplicidade de propósitos, o que também é uma verdade relativa, exclui a vilania dos seus labores, nos seus favores e no amor às coisas da natureza humana.

Por outro ponto de vista do que é o honesto, é preciso dizer que o vil é abominável porque é a desonestidade para com a integridade física e psicológica do outro. O que é vil teme a descoberta da sua vilania muito mais do que a dos seus costumes.

Vale dizer que a honestidade é antes uma condição espiritual do que material tendo em vista que honestos e desonestos permeiam todas as esferas sociais e que, enquanto condição espiritual, a honestidade pode ser difundida como um valor, uma virtude, mas enquanto condição da matéria, a honestidade é uma condição sine qua non à sociedade e à sua regulamentação.

E, para concluir se pode dizer que este conceito aplicado pode produzir o desenvolvimento de um padrão de qualidade de vida minimamente aceitável nas diferentes condições de adversidades, sejam estas adversidades espirituais, naturais ou vindas de falhas humanas.

24 comentários:

OceanoAzul.Sonhos disse...

Boa reflexão.

Ser honesto passa por ter carácter, uns têm outros não.

Um abraço
oa.s

Débora Andrade disse...

Ser honesto é mais preciso a cada dia, por ser também, mais raro.

Beijos,
Débora.

Natalia Campos disse...

A cada dia me surpreende com seus textos, querida. Gosto muito de tudo que escreve. A honestidade está escassa no mundo, infelizmente. Beijos, querida. Au revoir.

marlene edir severino disse...

Pra começar há que se honesto e verdadeiro consigo mesmo. A partir disso torna-se natural estendê-lo aos demais indistintamente.

Gostei muito do teu texto.

Afetuoso abraço pra ti!

Marlene

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Vale dizer que a honestidade é antes uma condição espiritual do que material "
se por assim espero que ao fim disso tudo essa falta de honestidade seja o avesso e essa gente vá bem longe ao inferno de Dante

Mª Carmen disse...

Creo que la honestidad casi que está en periodo de extinción, es dificil saber hoy quien es honesto de pensamiento.Besos.

Severa Cabral(escritora) disse...

Ser honesto não é está sozinho...depende do carater do homem...
Bjssssssssssssssssss

Graça Pereira disse...

Gostei deste texto onde a honestidade é reflectida. Não é só uma virtude espiritual mas tambem, uma formação de um carácter traçado em linha recta. Primeiro, há que ser honesto connosco próprios...o resto, vem por acréscimo!
Beijocas
Graça

Armando Pinto disse...

Honestidade na forma e no conteúdo, num belo texto. Gostei muito e dá para pensar.

Um abraço.
Armando

Lena disse...

Yayá,
Honestidade! Um princípio cada vez mais deixado de lado, assim como vários outros nesse mundo de hoje. É a famosa "Lei de Gerson", cada um tem que ser mais esperto que o outro!
Excelente o texto. Nos alerta que inclusive isso é um valor espiritual!
Bjs, minha linda!

Vera Lúcia disse...

Honestidade é como joia preciosa e admirável. Uma virtude que se impõe
para o equilíbrio das relações humanas.
Beijos.

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Belo texto Yayá. Honestidade é isso mesmo e necessita de uma reavaliação de vez em sempre.
Beijokas doces

SIMONE PRADO disse...

Querida, sobre seu comentário em meu blog, não há palavras quase para se dizer. Esse amor já partiu desse mundo, não está mais no meio de nós. Foi só uma lembrança do que não se pode ser. O tempo já passou (5 anos), o amor também parece ter superado. Obrigado por sua visita. Prometo voltar com mais calma.bos.

Valéria Sorohan disse...

Sempre saio com um pouco mais quando leio seu blog.

BeijooO*

MARILENE disse...

Gostei do post! A aplicação do conceito, como mencionou, implicaria em mudanças capazes de melhorar a qualidade de vida.
Acredito que a honestidade vem do seio familiar, dos valores que recebemos em casa.

Bjs.

C. disse...

Tenho como princípio ser honesta comigo mesma, e assim (penso) conseguirei ser com os demais, e as coisas na vida em geral.
Bem reflexivo o post, gostei!

Beijinhos!

Pedrasnuas disse...

A honestidade faz imensa falta ao mundo de hoje!!! Beijo e bom dia

Vivian disse...

Bom dia,Yayá!

Uma bela reflexão e bem necessária nos dias de hoje...
Sem honestidade não dá para viver em paz, com nossa própria consciência!
Beijos

Evanir disse...

Não posso
fazer crescer
um amor,
Como a força dos
ventos que
transmitem músicas
em danças de folhas
soltas,mais de mim,
uma gota que alimenta
esse clamor que ouço em
teu espirito.Sou feliz,
sou mulher que rensce
em cada gesto que
me toca, de um
limite que só existe
na distância
de uma dúvida
inexistente.
(j C Cavalcante)
Receba minha mensagem com muito carinho,
beijos no coração,,Evanir..

Lena disse...

Yayá,
Passando para te deixar um beijinho. Farei força para voltar à tarde e ver se tem post novo! Não liga pra minha ansiedade,não, tá, menina linda!!! hehehe...
Bkjkas com muito carinho!

Loivarice disse...

Bom dia, Yaya, honestidade num mundo onde predomina a ganância, a cada dia é mais dificil,mas isso depende do carater de cada um, acho que nasce junto... obrigada pela sua visita... bjs

António Gallobar disse...

Excelente texto, adorei passar por aqui

Muitosd parabens, voltarei

Aclim disse...

Eu sei que existe, sei que muitos tentam, mas a grande verdade é que o ser humano é infiel inclusive a si próprio. Poucos são os que abrem o coração e mostram sua dor, sua alegria, sua raiva. A maioria mascara com palavras suaves, esperam você virar as costas.

Abraço

Esperança disse...

Amada irmã,

Uma belíssima reflexão!
A honestidade esta "casada" com a gente mesmo. Quando olhamos sem medo para o espelho de nossa alma. Como escreveu William Shakespeare - Nenhuma herança é tão rica quanto a honestidade.

Um abraço de luz