Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Um Ponto de Vista Apolítico

Um Ponto de Vista Apolítico

     Cada vez que leio as notícias e observo o cotidiano, uma ideia se repete.
     Tantas vezes a mesma conclusão é dita, que pode ser literária.
     A impressão que se tem é que o país vive a literatura literalmente e o livro, ou aqueles quatro volumes, que até hoje não consegui ler aré o final, "As Brumas de Avalon" é tudo o que o país tem como realidade.
     Nesse contexto literário pode acontecer que alguma    -  "fada Morgana" -  tenha decidido fazer o país com quem "ela" deseja que esteja no poder.
     Sob o meu ponto de vista, essa "fada Morgana" é uma bruxa!
     Eu pesquisei e perguntei sobre o final da história porque faltou estômago para ler a saga da bruxa.
     Mesmo no livro, os grupos interessados no poder não têm escrúpulos para colocarem aquele que eles acham merecedor do reino de Avalon.
     Não se trata de vale-tudo, trata-se de todas as formas de sacrifícios, dos outros, seja bem entendido. Uma espécie de vale-tudo cruel. É um tipo de poder que dá aos seus participantes uma liberdade para ser mau caráter.
     Esses grupos que querem o poder justificam-se dizendo que a maldade deles é melhor para os outros do que a maldade dos outros para com os outros, os súditos de Avalon.
     Agora, pensando bem, quem é que deseja ser súdito?
     Prefiro me recolher porque não é nem um pouco engraçado esse tipo de situação.
     O pior é que há quem diga que haverá arrependimento por parte daqueles que não se submeterem às vontades dos tais grupos, sempre necessária e dramática, posto que gosta do que é cruel.
     O que me faz pensar assim é o cotidiano, sempre uma vitrine do que acontece no mundo real.
     Enquanto têm aquelas pessoas que levam as suas vidas normalmente, como boa parte da população, que têm seus afazeres, e que não têm tempo para as bruxarias, existem grupos que pensam em como conseguir o poder, mas de forma tão apaixonada, que se tornam radicais e começam a cogitar o mal contra os normais, ou seja, aqueles que têm os seus dias ocupados e, ao final do dia, pensam em descansar um pouco.
     Brumas e mais brumas de bruxas, mas faz tempo que não disputavam o poder.
     É o meu ponto de vista, ponto.    

2 comentários:

Célia Rangel disse...

Total descrédito nem bruxas, nem fadas. Desalento mesmo.
Abraço.

Ivone disse...

Concordo contigo querida amiga Yayá!
Nunca em nenhum outro momento tivemos assim, um quadro tão triste e como diz a nossa amiga em comum, a Célia, nem bruxas, nem fadas, desalento total!
Abraços apertados e um bom fim de semana!