VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Era Realidade Saudade / Crônica Musical

Era Realidade Saudade / Crônica Musical

     Eu não sou do tempo do rádio. Sou do tempo do rádio e da televisão.
     O chamado Dia das Mães foi em maio e o chamado Dia dos Pais é no próximo domingo.
     Essa crônica tem por objetivo as discussões musicais.
     Eles é que eram do tempo do rádio e os pais deles, quando em casa, escolhiam as programações a serem ouvidas.
     Eles praticamente "juraram" um para o outro que os filhos escolheriam as suas músicas.
     Cutucada por uma amiga, pensei em escrever essas lembranças, digam-se, muito boas.
     Um certo dia, levei um disco do Chico Buarque para ouvir em casa. O disco estava embrulhado em papel tigre e não era para ser mostrado a mais ninguém na escola.
     _Espere o seu pai chegar.
     Ele chega e pergunta sobre o jantar.
     _Depois do disco que a menina trouxe para casa. Chico Buarque.
     Sentamos os três no sofá e o meu pai deu as instruções de como ouviríamos o disco.
     _Nenhuma cara feia, nenhum riso e silêncio até o disco terminar.
     Assim ele ordenou que eu colocasse o disco na vitrola.
     _Ele deve estar pensando que é ópera! Ela disse.
     Ainda não era.
     Ouvimos os dois lados do disco. Minha mãe ordenou que eu o guardasse novamente dentro do envelope de papel tigre e o devolvesse no dia seguinte.
     Depois dessa, eu comprei um disco da Rita Lee.
     _Será que nós não a educamos como deveríamos?
     _Na nossa época eram outros ritmos, você lembra?
     _Filha, faça um favor para mim. Escute "isso" quando eu não estiver em casa.
     Afinal eram vários discos de bolero e, enfim, eu era jovem.
     _Os boleros são necessários!Imprescindíveis em todos os filmes. Se você observar, Los Mariachis são tão pontuais quanto a pontualidade dos homens da cavalaria nos filmes do Rin Tin Tin. Los Mariachis mudam o filme. Boleros são obrigatórios.
     _Ah! E o samba, perguntei?
     _Quem não gosta de samba é doente do pé.
     E assim, misturando O Sole Mio, Se As Paredes Soubessem, Eu Te Amo Meu Brasil, It's Now or Never e muito mais, tive toda a liberdade musical.
     Feliz Dia! 

Um comentário:

Nidja Andrade disse...

Excelente texto. A musicalidade em debate de outros temas atuais. Adorei!!!