VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Passeio de Casa

Passeio de Casa


     Para quem está em casa sem muito o que fazer, uma boa ideia é passear acompanhada pelo Google.
     A ideia é a seguinte: escolhe-se uma localidade sobre a qual se tem alguma curiosidade e, pronto, o passeio virtual começa.
     O passeio é virtual, mas como o blog, a experiência é real.
     Outro dia me perguntaram por que é que ainda não conheço Manaus, Amazonas, Brasil. É só tomar as vacinas recomendadas e ir até lá. Afinal, quem vai para Nova York durante o inverno, se for esperto, toma a vacina contra a gripe e a pneumonia.
     O argumento é bom, mas eu não pretendo e nem posso viajar por enquanto, ando abraçando a casa, esse meu mundo diário.
     A curiosidade veio e cliquei no mapa de Manaus. Com o mapa na tela do computador a gente começa a idealizar uma possível estadia por aquele estado.
     O rio Amazonas, as regiões ribeirinhas, as ruas, as calçadas, as vitrines do que se veste por lá, é uma imensidão de novidades agradáveis de se visitar.
     E tem mais, a gente pode perceber o povo nas ruas, o indo e vindo pelas avenidas, é uma viagem.
     Além do mais, é uma viagem econômica, porque o gasto se resume em alguns biscoitos e uma garrafa de guaraná gelado em frente ao computador.
     Passeando sem pressa, pode-se observar a natureza, os barcos catamarã, as flores vitória-régia.
     Quando a gente sai do computador, a impressão que se sente é muito boa.
     Os problemas do dia a dia foram esquecidos e o lazer foi real.
     Do estado do Amazonas, o que eu experimentei na vida real foi uma compota de tamarindo e um panetone de cupuaçú, além de um caldo famoso que amortece a língua, espera um pouco, vou pesquisar o nome do caldo. Pronto o nome do caldo é "Tacacá no Tucupi". Há alguns anos atrás o SENAC de Curitiba trazia à cidade festivais gastronômicos e dentre esses festivais, eu me lembro de ter ido ao festival gastronômico de comida amazonense e estava tudo excelente. As reservas eram antecipadas e era preciso marcar com alguns dias de antecedência para conseguior almoçar lá no meio da semana. Aos finais de semana, a fila era tanta, que era impraticável. No entanto, na fila de espera eram servidos sucos típicos e castanhas para degustação.
     Passear pela internet é quase tão bom quanto ir ao festival gastronômico, mas não engorda.
     Também não esqueço de uma moça amazonense que estava repetindo a sobremesa, coisa que eu fiz também. Comen´tavamos que se comia demais nessas feiras, mas também o sabor do doce de tamarindo era inigualável.
     A moça, uma amazonense residente em Curitiba, disse que estava com muita saudade daquele sabor.
     Realmente muito bom, repliquei.
     _É pra comer de lamber os beiços.
     Concordei e enchi a cambuca com doce de tamarindo.
     Acontece que, viajar até lá, ainda não me foi possível, pelo menos até o Google mapas me permitir esse lazer.
     Desanuvia o espírito, coisa que os mais antigos diziam.
     Se você está em casa, como eu estou, escolha uma cidade, escolha um lugar que goste, visualize a rua e siga. Pare em cada esquina e semáforo, olhe o que a cidade oferece e se divirta. O automóvel é Google também.
     De vez em quando a gente inventa o lazer.

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Esse é um dos meus passeios prediletos... Tranquilo. Saudável e bem baratinho... Faz um bem enorme! Por exemplo, rever cidade natal... Lembranças mil...
Abraço.