VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

domingo, 19 de maio de 2013

Vintage / Crônica do Cotidiano

Vintage / Crônica do Cotidiano

clip_image002

Dessa história eu não participei, mas foi divertida. Mas para rir, é preciso que se tenha ouvido falar em LP de vinil.

Estão à venda novos aparelhos de som com toca-discos de agulhas para vinil.

O senhor de meia-idade se apaixonou pelo design de madeira, o toca-discos, a entrada para USB (computador), todos os recursos novos nesse aparelho que toca vinil.

Chamou o vendedor e perguntou se na loja havia discos de vinil para se testar o som da engenhoca. O vendedor trouxe o bolachão (apelido do LP) e o estava colocando no aparelho toca-discos, quando o homem disse:

_Não coloque o dedão em cima das faixas. Estraga o vinil.

O vendedor, jovem, olhou para ele como se ele fosse um extraterrestre.

O senhor então disse:

_LP's são manuseados pelas abas laterais com todo o cuidado para não entortarem, são sensíveis às ondulações causadas pelo manuseio incorreto.

O vendedor aprendeu a manusear o disco de vinil, mas ficou com medo de danificar o aparelho toca-discos (vitrola de antigamente) e, diante da observação anterior, perguntou ao cidadão:

_O senhor pode me dizer em qual marcha eu coloco antes de ligar a agulha?

Nesse caso, o homem ficou em dúvida:

_Marcha? Onde estão as marchas no aparelho? Seria possível que os fabricantes tivessem modificado a maneira para se ouvir discos como antigamente?

O vendedor apontou-as prontamente:

_As marchas estão aqui senhor: temos três marchas, a primeira é a 33, a segunda é a 45 e a terceira é a 78. Eu não sei como acelerar ou frear.

O homem começou a rir. O vendedor ficou sem graça.

O homem vendo o jeito do moço, explicou:

_Não são marchas, são velocidades. Elas servem para tocar o disco na rotação certa. Existem discos em 78 rotações por minuto, outros em 45 rotações por minuto e os mais novos (aqueles que têm por volta de quarenta e cinco anos de existência) rodam em 33 rotações por minuto. Os discos foram gravados nessas rotações. Não se acelera e nem se freia.

O moço, muito nervoso, talvez até com medo de levar bronca do gerente, disse, com pressa:

_Senhor, quando eu nasci existiam apenas CDs. Depois veio o MP3. Eu estou numa situação constrangedora, porque ninguém me explicou do que se trata esse tal de toca-discos e os fabricantes não fizeram exposição do produto. Colocaram à venda essa engenhoca e querem que a gente se vire para vender.

O homem disse que não tinha importância, que estava matando as saudades e vendo se o aparelho cabia no bolso, enfim, se ele podia comprá-lo sem comprometer o orçamento familiar.

Despediram-se agradecendo um ao outro.

O vendedor sentindo-se incompetente. O comprador sentindo-se um saudosista em busca do passado, uma peça de museu. O primeiro não era tão jovem e o segundo nem era tão antigo assim; ele não tinha disco de 78 rotações, nem de 45 rotações; no tempo dele os discos eram de 33 rotações.

Em volta deles, vibrava o sorriso compreensivo dos passantes. Alguns aprendendo a lidar com o aparelho de som, outros admirando a novidade.

7 comentários:

Célia Rangel disse...

Que delícia ler um espaço nobre da minha vida! O lixo que era ter uma vitrola, depois um toca disco... as agulhas! Ah! Quanto cuidado com as mesmas! O limpar os 'bolachões'... outro evento! Ainda tenho meu toca discos completinho... e também optei hoje pelo CD e MP3... Valeu o momento!
Bj. Célia.

Giancarlo disse...

Dischi in vinile...che bei ricordi!! Un abbraccio....ciao

manuel marques Arroz disse...

"Ter saudade é ter lastro, história, percurso. Anda por aí muita amnésia...

Beijo.

ONG ALERTA disse...

Uma nostalgia....
Beijo Lisette.

Sor.Cecilia Codina Masachs disse...

Me ha encantado tu entrada. Aún conservo discos de mis abuelos de 33 revoluciones, realmente es un tesoro. Ya ves cómo hemos adelantado en el mundo de la música y aún no sabemos qué más el hombre pensará para recrearse con la música.
Un buen relato mi querida Yayá y me alegro mucho de tu visita.
Gracias.
Con ternura te dejo un beso.
Sor.Cecilia

Mona Lisa disse...

O "currículo" da vida tem que ser feito através da partilha de aprendizagens...

Beijinhos.

Magia da Inês disse...

Passei para uma visita.
Que delícia de conto!
Você escreve muito bem!!!!
Ótimo início de semana!
Beijinhos
¸.•°✿✿⊱彡