Loading...
Loading...

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Era Para Você

Era Para Você / Conto

clip_image002

Dominique todos os dias desenhava alguma figura. Todos sabiam em sua casa que ela desenhava, mas ninguém perguntava o que era porque adivinhavam que, no final, quando o quadro ficasse pronto, como era dos seus hábitos, ela mostraria a todos da família.

Dentro de casa, a moça era considerada como a artista da casa. Uma pitada de orgulho de tê-la do jeito que ela era, uma pitada de amor salpicada de curiosidade eram os sentimentos nutridos e, assim revelados.

Quando Dominique desenhava assim, aos poucos, eles sabiam que o quadro seria agradável. Se for desenhado com capricho para depois aparecer pintado, é tarefa difícil, cochichavam entre si, ao carinho, sobre as surpresas de Dominique.

Eis que, alguém de fora da casa quis saber antes o motivo do desenho.

O curioso Sálvio pediu que cada um dos seus conhecidos descobrisse o que havia naqueles desenhos.

Os conhecidos do curioso, não tiveram dificuldades em descobrir. Dominique não escondia o que fazia a ninguém, o desenho e a pintura faziam parte das suas habilidades manuais. Os desenhos ficavam sobre o cavalete da varanda do seu quarto.

A cada pergunta, o desenho era mostrado, ali da varanda, aos passantes da rua, de acordo com as etapas do desenvolvimento da pintura.

Dominique não adivinhava que os seus quadros eram motivo de curiosidade. Não ao ponto de serem vistos passo a passo para serem sabidos por Sálvio.

Nesse percurso de compras na loja de telas e tintas, ela encontrou-se com Sálvio.

Conversam amenidades, quando, de repente, Sálvio dirige-se a ela num tom diferente e diz:

_Eu sei que você está pintando um quadro novo. Mostre aos seus amigos quando ele ficar pronto. Eu quero ver esse quadro!

Dominique diz que o mostrará como era do seu costume fazer.

Sálvio sorri como que estivesse contando que sabia do quadro e segue o seu caminho.

Dominique foi para casa, pegou o quadro, que estava ainda por terminar e o mostrou para a família.

A família ficou surpresa com a sua atitude e perguntou por que, dessa vez, ela mostrava o quadro antes da sua finalização.

_Era o presente do aniversário dele. Era a minha surpresa para ele. Todos nós desejamos felicidades para ele, mas agora o presente perdeu a graça.

A mãe de Dominique foi rápida na resposta:

_Compraremos outro presente para ele. O quadro, agora, é seu. Termine o quadro para pendurarmos na sala de estar, junto ao sofá.

O quadro se compunha de uma bela paisagem com bosque, adultos e crianças ao lazer. Combinou com a sala.

6 comentários:

Henrique Antunes Ferreira disse...

Yayámiga

Gostei, gostei mesmo muito. Este conto vem na linha do que escreves - e bem. Este Era Para Você está um primor. Bravo!

Qjs

Célia Rangel disse...

Nossas "surpresas" muitas vezes acabam surpreendendo-nos...
Abraço.

✿ chica disse...

Lindo e mesmo que a surpresa não tenha podido ser feita, valeu! beijos,lindo dia!chica

Jossara Bes disse...

Oi Yayá,
A espera, a expectativa, antecede o "surpreender"!
Gostei muito do conto!
Tenha uma linda semana!
Beijos!

Lu Cidreira disse...

Muito legal ler um texto em conto que nos surpreende. Bom te ler, demais!
Abraço

Sor.Cecilia Codina Masachs disse...

Hola Yayá, un relato muy simpático.
Los niños son sorprendentes, imprevisibles y tan inocentes, que siempre no dan enseñanzas.
Un gran abrazo
Sor.Cecilia