Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

A Fada Madrinha

A Fada Madrinha

clip_image002

Dois homens de negócio passavam pela Avenida Paulista, com pressa, quando um deles virou-se para o outro e disse:

_Tudo o que eu quero na vida é passar o dia em cima de um piano.

O outro se riu da ideia, mas o homem disse que esse fora o seu desejo de infância, mas que nem sequer passou próximo de alguma escola de música. Agora, com certa idade, os negócios eram a música dos seus dias.

Ao ouvir o amigo contar da sua vontade musical, o outro não mais riu da ideia.

A Avenida Paulista é muito frequentada e, aconteceu de naquele dia haver uma fada-madrinha caminhando ao lado deles. Ela conhecia a cidade e aquela era uma Avenida simpática com seus prédios bonitos e modernos. Ao ouvir o pedido, sentiu que os seus poderes eram chamados, poderes precisam ser revelados para se cumprirem como poderes.

A fada voltou ao hotel, pegou a varinha de condão e realizou o pedido do executivo bem vestido e bem postado, mas agitado com a sua correria para não perder nenhum dos negócios.

No dia seguinte, Tomás acordou, tomou o desjejum e chamou o motorista para levá-lo à sua rotina.

O motorista levou até uma escola de música e disse que ficaria à disposição para o que ele precisasse.

Tomás pensou que fosse gozação da parte do seu motorista e o avisou para não mais fazer aquele tipo de gozação porque ele não gostava:

_Leve-me ao centro financeiro da cidade imediatamente!

O motorista disse que não poderia levá-lo ao centro financeiro naquele dia enquanto ele não realizasse o sonho de infância e passasse o dia inteiro ao piano, mas sem se deitar sobre o mesmo.

Com ar de seriedade, ele perguntou ao motorista:

_Quem disse isso ou te deu esta ordem?

O motorista disse que fora ordem da fada-madrinha dele e que ele não desrespeitava as ordens de nenhuma fada-madrinha.

Tomás questionou:

_Desde quando eu recebo ordens de fadas-madrinhas?

O motorista disse que ele recebia ordens de fadas-madrinhas desde que os empresários que o pagavam como seu representante acreditavam em fadas.

_Com o apoio dos seus financistas, hoje o senhor passará as suas oito horas de batente diárias, ou seja, o dia inteiro conhecendo o piano e aprendendo a tocar músicas.

Tomás, ao saber dos contatos da fada-madrinha, entrou na escola para assistir a todas as aulas.

Na primeira aula recebeu o material didático com o carimbo da financeira, aprendeu a desenhar as notas com os seus respectivos valores, as claves de sol e de dó além de aprender a sentar-se corretamente sobre o banco em frente ao instrumento e posicionar as mãos por sobre as teclas.

Na segunda aula, vieram as lições práticas com as lições melódicas específicas para iniciantes.

Na terceira e quarta horas de aula, estudos sob a supervisão de um professor especialmente contratado para resolver as primeiras dificuldades.

Chegou a hora do almoço e ele estava ansioso para saber dos negócios e, assim, almoçou em frente ao estabelecimento escolar para conversar à vontade usando o seu telefone celular. Ligou para o amigo para o qual confidenciara a sua vontade, mas perguntou dos negócios.

_Não se preocupe com os negócios no dia de hoje. Você toca piano e eu cuido da Avenida Paulista.

Tomás perguntou quem era a pessoa que havia levado o assunto musical com tamanha seriedade.

_A fada-madrinha!

Tomás perguntou sobre quem ainda acreditava em fada-madrinha na Avenida Paulista.

O amigo respondeu:

_Todos nós acreditamos em fadas-madrinhas. Ou, pelo menos a maioria de nós. Os sonhos existem para serem realizados porque eles não têm preço ou cotação.

Ele pergunta ao amigo se, por acaso, ele tem algum sonho realizado e que não pudesse ser cotado no mercado de ações.

_Eu tenho. Você conhece o jardim da minha casa no Morumbi e volta e meia você se encanta pelo fato dele florir o ano inteiro. Quem cuida do jardim sou eu. Não temos jardineiro e gasto muitos dos meus finais de semana pensando nele, planejando onde colocar as sementes e nas épocas certas para plantá-las.

Depois dessa resposta, Tomás desligou o telefone e almoçou com tempo de voltar à sala de aula.

A primeira aula vespertina foi para verificar a aprendizagem matinal com as correções das cópias das notas no caderno de anotações musicai, acrescentando-se exercícios teóricos em conjunto com o mestre.

A segunda aula acrescentou repertório e exercícios para serem feitos em casa.

A terceira aula foi específica para a prática a quatro mãos, aluno e professor tocando em conjunto as melodias iniciais.

A quarta e quinta aulas foram novamente para os estudos do aluno sob uma supervisão adequada e a consequente correção dos problemas que se mostravam aparentes à medida do estudo.

A sexta aula: teste para verificação do aprendizado durante o dia.

À noite chega o motorista para buscá-lo.

Tomás pergunta pela fada e ouve que ela se encontra na Avenida Paulista. Ele pede para conversar com ela porque deseja voltar a ser o homem de negócios que era no dia anterior.

Depois de meia hora de espera, ele consegue que a fada o atenda em seu pedido. Eis porque ela é chamada de fada, tem bons sentimentos.

No dia seguinte ele volta aos negócios. Está caminhando na Avenida Paulista ao lado do seu amigo quando se encontram com um empresário.

_Tomás, por favor, me responda: O que o dia de ontem significou para você? Houve alguma transformação pessoal após esse episódio cultural?

Tomás respondeu que, de fato, havia experimentado sentar-se ao piano e arriscar algumas canções singelas e bonitas, mas mais importante do que aprender como se aprende a tocar um instrumento musical, foi o fato de que voltou a acreditar que os sonhos podem se realizar e é uma sensação inexprimível quando eles são bons, cansativos, mas reais.

O empresário contou a ele que a fada-madrinha era sua amiga. Disse que, para todo e qualquer negócio é importante saber de experiência comprovada que os sonhos podem ser reais. Disse a ele que através do sonho possível ele havia se tornado humanamente mais responsável e que este fato conferia a ele uma maior capacidade para desenvolver o seu talento natural e o ajudaria a solucionar os desafios que costumam aparecer naquelas bandas financeiras, porque, se os negócios parecem pertencer dentro de um âmbito inóspito à civilidade, eles possuem a capacidade potencial de transformar em realidade os sonhos de milhares de pessoas que precisam de conforto para conseguir alguma qualidade de vida.

5 comentários:

Mariazita Azevedo disse...

Bom dia, Yayá
Obrigada pela visita e comentário na minha «CASA».
Achei muito interessante a mensagem contida neste seu conto - a realização dos sonhos é possível - ainda que seja necessária a intervenção da fada madrinha:)))

Bom fim de semana
Beijinhos
Mariazita

✿ chica disse...

Puxa, que maravilhoso conto e inspiração. Fadas madrinhas podem fazer bem e essa mostrou, de forma a atender o seu sonho, um nova forma de olhar pra vida. Lindo! beijos,chica

António Manuel - Tómanel disse...

Para tudo haverá sempre um tempo.
Um bonito conto em jeito de ensinamento.
Parabéns.
Visite http://umraiodeluzefezseluz.blogspot.com

XicoAlmeida disse...

Oá Yayá, adorei!
Afinal se não tivessemos a esperança em os sonhos se tornarem reais, qual a razão ou interesse em os ter?
Abraço grande.

Célia Rangel disse...

Anjos! Fadas! Bons presságios! Fé! Ainda que utópicos são elementos mágicos na esperança de realização de nossos sonhos.
Bjs. Célia.