Lugares Bonitos

Lugares Bonitos

http://frasesemcompromisso.blogs.sapo.pt/

O blog da Nina, menina que lia quadrinhos.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Literatura Científica: Música, Neurociência e Memória

A Literatura Científica clip_image002

Música, Neurociência e Memória

A literatura científica, apresentada em trabalhos para revistas técnicas, ou defesas de teses pode ser utilizada em vários campos do conhecimento humano e não somente com o propósito para o qual foi escrita. Falta, porém um intercâmbio de estudos que possam interessar a outras áreas da ciência. São estudos que estão disponíveis em bibliotecas quando poderiam ter a sua divulgação ampliada e, então, dependemos destes professores que realizaram os estudos, que nos enviam a cópia ou que distribuam aos seus alunos para a sua divulgação entre os colegas.

Os estudos que apresentarei são na área de música, mas têm a sua importância relacionada a áreas de estudos e pesquisas neurológicas.

Os musicólogos a analisam o sistema musical dentro do contexto específico da cultura e muitos neurocientistas analisam a música como um produto de uma organização cerebral. Dentro dessa percepção temos que “a música é distribuída universalmente, e apresenta universalidades cognitivas; ela é encontrada em alguns membros imaturos da espécie e apresenta algum grau de automação (pássaros, ratos e macacos reconhecem sons consonantes e dissonantes)”.

A compreensão da música e o seu processo cerebral produzem esclarecimentos sobre o funcionamento do córtex auditivo, e assim, abre as portas para a compreensão do funcionamento das funções cerebrais superiores. Há evidências que a música envolve a memória, a atenção e a imaginação da coordenação motora.

As memórias utilizadas na música são:

1) A memória muscular e tátil é a memória automática, executa movimentos rápidos e complicados, sem a necessidade que se pense neles.

2) A memória visual é aquela que a vista capta: imagens como uma projeção fotográfica e, mesmo fechando os olhos, a imagem permanece.

3) A memória auditiva é a impregnação da música como uma teia sonora da imaginação.

4) A memória nominal ou verbal é a que dita o som certo à medida que se o diz. O solfejo e o canto dinamizam as três memórias sensoriais.

5) A memória rítmica é de ordem fisiológica e apela para a memória dos movimentos baseada no automatismo muscular. É dificilmente isolável e interliga as diversas memórias.

6) A memória analítica ou lógica é a memória intelectual; é o estudo da ordem do pensamento.

7) A memória emotiva ou interior atua de forma estética ou sentimental, a música inspira estados de espírito.

A música e o seu desenvolvimento são motivos para muitos estudos. Apresentei estes resumos retirados dos trabalhos dos professores Paulo Estevão Andrade “Uma Abordagem Evolucionária e Científica da Música” e Ana Portes “Considerações Sobre o estudo Diário Do Piano E Sua Importância Na Execução Pianística”.

Essa é uma literatura científica e eu não vou me aprofundar, tendo em vista que as sugestões foram feitas e a importância da troca de conhecimentos está subentendida.

23 comentários:

Mery disse...

Olá, amiga, vim te visitar...bom dia! Confesso que achei difícil a leitura, digo o entendimento dela, é questão de ler e reler, voltarei.
Beijinhos da Mery

Sandra disse...

Venho do blog de um amigo - Jorge Pimenta- onde ele escrevia :" música é como a morte:
ambas são a verdade mas nenhuma se explica"
Tentamos compreender ...
Beijinho

Artes e escritas disse...

Sandra, veneno, definitivamente NÃO! Música é o som organizado e melodicamente harmonizado. Música é vida e trabalha para a vida. Quem não estuda, não entende. Eis a importância de se divulgar estudos técnicos para abrir a vontade do conhecimento. É a ignorância que mata, é o desconhecimento que interfere negativamente e contra a vida.Um abraço, Yayá.

Célia disse...

Como educadora deparei-me inúmeras vezes com classes indisciplinadas, sem concentração. Através da música clássica num tom bem suave, abaixo do vozerio da sala, consegui obter a concentração necessária dos alunos para a aprendizagem. Sempre no final de minhas aulas premiava-os com uma música da atualidade. Buscava assim a memória afetiva deles e minhas aulas passaram a ser esperadas por aquela sala dos sextos anos... de Ensino Religioso, após aula de Educação Física! Ouvir transcendências após exercícios físicos era para dinamitar qualquer professor! Haja estratégias! A música é minha eterna companhia! Parabéns pelo texto. Ser escritora vai muito além de blogueira. É usar do espaço para pulverizar conhecimento! Abraço da Célia.

Suzane Weck disse...

Ola minha querida amiga,passei para deixar um abraço,e dizer que embora com um pouco de demora estou atendendo ao teu pedido musical.E claro que não da para comparar com a trilha sonora do filme,mas é com todo carinho que te dedico esta musica.Bjss.

tecas disse...

Boa tarde, querida Yayá!
Li e compreendi perfeitamente, o seu ponto de vista. A música é a criação mais bela da alma. Um dos meus maiores desgostos, foi não ter estudado música.
De uma certa forma Jorge Pimenta, tem razão. Nem a morte nem a beleza da criação música ( quando vem da alma), têm explicação. A morte é um dado adquirido quando nascemos, a música é um dom da alma em que nem todos nascem com ele. Adorei e agradeço a partilha deste seu belo post.
Bjito e uma flor.

Manuela Freitas disse...

OLá Yayá,
Gostei bastante de ler o que escreves-te, sou muito ligada à música, principalmente à clássica, uma assídua frequentadora de concertos...e de facto a música tem sido uma grande terapia! Tenho familiares muito directamente ligados à música.
Aqui no Porto, têm sido feitas experiências muito interessantes, projectos em que são integrados presos e moradores de bairros degradados! Outro grande sucesso é música para bebés! Isto tudo dentro do contexto da música clássica!
Beijinhos,
Manú

Bela disse...

Acho o tema muito interessante... são áreas pelas quais sou apaixonada: a neurociência e a música. Espero poder me aprofundar mais e mais em ambas!
A música é uma extensão de mim. Não há nada que me acalme mais que dedilhar melodias nas cordas de um violão.
Adorei o texto!
Abraços,
Bela.

Aclim disse...

Yayá, minha área arte, e a obrigatoriedade da música na escola, determinada pela Lei n. 11.769/08, coloca aos professores um desafio na busca de novos conhecimentos que serão utilizados na educação em arte.

No meu Blog tem um tcc e aulas sobre arte se interessar a algum prof. Mas a música existe antes da formação do mundo os anjos já cantavam no céu.

É um assunto inesgotável visto que música vem da alma, é uma produção humana e arte.

Abraço

Nel Santos disse...

Oi, Yayá!!!

Que interessante a tua postagem!

Eu simplesmente amo música e acho fabuloso o poder que elas exercem sobre nós. Eu toco violão, portanto, a música é minha constante companheira.

Beijos pra ti, querida!

Marcia disse...

Querida eu acredito que a musica é uma terapia e deveria ser estudada profundamente,para ajuda,eu mesma mudo quando ouço musica,um bjo linda!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Imaginava que a música utilizasse memória mas não que fossem tantas, coincidentemente são 7 como a s notas musicais.
A música é fundamental na vida, na educação. Lidei com alunos especiais, e via a diferença de suas atitudes, quando participavam de musicoterapia.
Sinto, que até meus animais, gato e cães,parecem se envolver com a música,quando a tocamos junto a eles.
Então, quando alguém diz que "fulano toca de ouvido", tem a ver com este estudo científico, relativo à memória?

Um beijo, Yaiá

Vera Lúcia disse...

Obrigada, amiga, por acrescentar
conhecimentos com o seu post.
A música é um alimento para a alma. É tão importante que já está sendo utilizada na medicina alternativa.
Beijos.

Ivete disse...

Um tema bem interessante Yaiá.Complexo também,sem dúvida.Mas interessante o suficiente para nos debruçarmos sobre ele.

Um grande abraço

Madalena disse...

Música é a linguagem que todos podem entender.
Beijo e bom dia.

Maria Luisa Adães disse...

Cheio de interesse seu texto!

Eu ao escrever, me envolvo muito com a música.

Um beijo,

Maria Luísa

Ricardo Steil disse...

Como compositor e estudante eterno da música, sei o quanto ela é importante na vida do indivíduo. Muito bom texto, parabéns. E obrigado por visitar meu cantinho sempre. Ótima semana, beijos.

Catia Bosso disse...

A musica nos remete aos mais belos momentos de recordação, alem de tantos outros benefícios que nos traz no todo! Adorei!

bjsss meusss

CAtita

JuniorPoltergeist disse...

adorei, bem complexo, bjs, estou lhe seguindo.

Milene R. F. S. disse...

Olá Yayá
Muito interessante o seu post, mas como musicista vou dar alguns palpites, tá? Em seu texto vc fala em tipos de memórias utilizadas na música... o que tenho a dizer é que cada uma dessas memórias é utilizada mais ou menos dependendo do instrumentista... a primeira memória considerada no texto, por exemplo, essa só se torna automática depois de muito, mas de muito estudo mesmo de uma peça musical... já a outra memória citada, a visual, nem todos os músicos a tem tão bem desenvolvida, pq a verdade é que quando se trata de memorizar a peça estudada, cada um a memoriza de uma maneira particular... alguns memorizam a ação mecânica, e não as notas visualmente por exemplo... outros juntam essas duas coisas, outros ainda memorizam a música atráves de uma análise harmônica por exemplo, o que é bem útil ao meu ver para se fixar melhor a peça na cabeça... eu como musicista, pianista, quase sempre memorizo a música de forma mêcanica, atráves do dedilhado que emprego em uma peça e também através do som que aos poucos eu gravo em minha memória, também gosto de fazer uma análise da peça de forma a fixa-la melhor nos dedos, mas não consigo memoriza-la visualmente, talvez por ser uma pessoa muito mais auditiva e cinestésica do que visual... é isso aí amiga. E vou te aconselhar um livro muito interessante sobre pisicologia cognitiva musical tá, já que vi que vc gosta do assunto. Ele se chama: A mente Musical e é de John A. Sloboda, um livro fascinante, que vale muito a pena mesmo! Ah e eu não peguei o seu selinho ainda pq ele não aparece na tela do meu pc, se vc puder fazer a gentileza de manda-lo por email para mim eu agradeço! Meu email é: csmfrs@gmail.com. E mais uma vez muito obrigada por essa gentileza sem conta para comigo, beijos!

Artes e escritas disse...

Milene, você colaborou com o propósito dessa postagem, anotei o nome do livro. Uma dica para todos os blogueiros: eu uso o Windows Live Writer para postar no blog e garanto que me facilitou a postagem de selos e links. Deixarei o recado no seu blog também. Você tem razão, eu preciso de um email para o blog, ainda não tenho. Assim que criar, eu te aviso. Um abraço, Yayá.

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia querida do meu coração!
Estou sentindo sua falta,lá no meu cantinho,prova que vc já faz parte de mim...
ai como a música nos transforma,navegamos tanto que somos capazes de atravessar o mar,rsrsrs
Bjs

José Ricardo Costa disse...

Muito interessante esta relação entre música e sistema nervoso central. Tenho pensado muito nisso, a música como arte dionisíaca por excelência. Ou a relação da música com o cinema, a música enquanto "inconsciente do filme".
JR