Loading...
Loading...

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Canto de Fado

Canto de Fado

Quero calar-me das dores sofridas,

Guardo em segredo o que marca esse peito.

Nesse vagar de tratar as feridas

Canto esses versos de amor rarefeito.

 

Dores, feitiços de intrigas vividas,

Laços em nós de algum falso preceito,

Solto os queixumes e mágoas ouvidas

Numa canção que desfaz o mal feito.

 

Canto que conta da atroz vilania

Feita a rancor sem razão, sem motivo

Para vingar a poção nesse dia.

 

Dados expostos de amostra à porfia

Deixa o meu canto sem nexo e furtivo

Para quem queira, um sorriso é meia vida.

22 comentários:

Nina Pilar disse...

o fado já um canto de dor, de tristeza, um lamento, eu acho lindo e teu poema é lindo. adorei!

beijinhos e uma linda noite

Vera Lúcia disse...

Lindo canto de fado, Yayá.
"Para quem queira, um sorriso é meia vida". E num é que é?
Beijos.

Marina-Emer disse...

precioso Soneto de canto al Fado...y bellisimos los Fados
gracias de ser mi amiga feliz fin de semana

Manuela Freitas disse...

OLá Yayá:
Está bem no estilo do fado português, só lhe falta mesmo o trinado da guitarra e o acompanhamento da viola!
Este espírito do teu soneto é bem do fado!
Beijinhos,
Manú

Célia disse...

Lamentos, amores mal resolvidos, vidas não bem vividas povoam fados em vozes melancólicas! É o expurgar das "dores sofridas"... é voltar-se para o "sorriso meia vida"... O fado em seu poema, Yayá reporta-nos à nossa vivência. Retrato fiel. Belo! Abraço da Célia.

Luís Coelho disse...

O fado é saudade em si concentrada e um canto de mágoa sentida.
É português de certeza e canta como quem reza a saudade portuguesa

Vivian disse...

Bom dia,yaya!!

Que lindo fado!!!
Beijos!
Bom final de semana!

@ Escritora disse...

Gostei muito!

Bjão

Majoli disse...

Lindo Yayá, acho o fado triste, e esse seu canto de fado, doído.

Beijos no teu coração.

marlene edir severino disse...

"Nesse vagar de tratar as feridas
Canto esses versos de amor rarefeito."

Muito bonito isso, Yayá!

Beijo, querida!

Marlene

Pedrasnuas disse...

Fado é isso mesmo...o luto português e profundo...

Beijo

Van disse...

Que lindo Yayá!

Adoro o profundo sentimento do fado

Beijos!

Jorge disse...

Perfeito! Como diz a Manuela, só falta o trinar de uma guitarra!

Célia disse...

ENTREVISTA!
http://conversadeblogueiro.blogspot.com
Acesse o blog acima e opine! Ficarei imensamente grata!
Abraço, Célia.
http://celiarangel.blogspot.com

Maria disse...

Este poema daria sem sombra de dúvidas um fado lindissimo.
Bom fim de semana.
Beijinhos
Maria

Natalia Campos disse...

Tão linda a última frase. Me apaixonei mesmo, sério! Adoro bisbilhotar seu canto. É um encanto.

Beijos, querida.

Au revoir :)

Ingrid disse...

fado é amor e tristeza..
muito lindo teu escrito..
beijos perfumados..

Humberto Dib disse...

Gostei desse seu poema, desse seu blogue, vou ficar por aqui como seguidor.
Um carinho desde Buenos Aires.
Humberto.

www.humbertodib.blogspot.com

Rayén disse...

Bellos versos.

Muchos saludos.

Severa Cabral(escritora) disse...

saudades sim!
É por acaso?
Sinto falta de vc lá,e fico me perguntando por onde vc anda que não passa por lá,rsrsrsrs,te gosto minha doçura e das tuas escritas tbm...tens uma cultura interna que externiza muito bem...

Aproveito para convidar a ver um comentário que meu amigo postou no blog dele,e se possivel add ele em seus seguidores pq ele está começando agora...bjs
pedrofransilva.blogspot.com

Waliff Bruno disse...

Boa noite Yayá
amei seu post enteresante curioso e suave leitura.

se puder me segue e comente meu blog por favor PS: TODOS OS TEXTOS POSTADOS NELES SÃO FEITOS POR MIM.

http://seumundosuavida.blogspot.com/

Paulo Sotter disse...

Tua poesia inseriu-se perfeitamente na atmosfera do fado, que é profundo e triste em sua essência. O final transforma, subverte, trazendo a leveza e o poder que um sorriso carrega consigo. Parabéns pelo lindo post