VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

VideoBar

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

sexta-feira, 2 de setembro de 2016

O Futuro da Imprensa / A Boa Notícia

O Futuro da Imprensa

     Hoje pela manhã, numa breve saída, recebi dois jornais em formato tabloide, o Metro e o Jornal do Ônibus, ambos distribuídos graciosamente pelas ruas de Curitiba.
     Os dois jornais são bons e quem não leu, pediu para que mantivesse os exemplares em casa para que possam ser lidos mais tarde.
     A imprensa que temos é paga, e o exemplar impresso fica à disposição de quem quiser ler na entrada do edifício, porque temos a assinatura digital com cadastro e senha. A imprensa paga estava deixando o público desinformado justamente por não permitir o acesso digital de conteúdo ao não assinante.
     Na primeira olhada tivemos contato com informações úteis quanto ao que está programado para a semana do feriado e podemos antecipar algumas decisões sobre o que fazer antes do feriado com precisão.
     O futuro da imprensa pode ser discutido a partir desta manhã.
     Está fazendo falto um jornal diário para a maioria das pessoas que tem algum nível de conhecimento, mas não conseguem pagar uma imprensa diária.
     O jornal Metro é distribuído numa esquina perto de casa, mas a edição esgota cedo e o Jornal do Ônibus, recebido hoje de manhã foi uma grata surpresa pela qualidade que compete com a boa imprensa escrita e paga. Não tem excesso de anúncios e traz um resumo de tudo o que está acontecendo na região, no país e no mundo, resumidamente.
     Essa imprensa que é distribuída graciosamente na cidade, merece investimento, pontos fixos de acesso, porque, se é verdade que nem todos se interessam em ler jornal pela manhã, é útil que se tenham pontos de distribuição gratuito e fixos, onde as pessoas tenham acesso e peguem os seus exemplares.
     A imprensa paga não pode ser hegemônica, ou, seja, colocar uma matéria como verdade única, o que sem querer ocorre, porque é uma imprensa dirigida a quem pode pagar a edição impressa e para manter a sua qualidade, escreve de acordo com o interesse do público pagante, o que tem mercado de consumo. Mas essa imprensa paga, que permitia o acesso gratuito do conteúdo digital, ensinou ao público que é bom ler jornal. Com o cancelamento do acesso gratuito ao conteúdo digital, que era diverso da complexidade do conteúdo impresso, o público se viu órfão de notícias.
     O jornal Metro foi pioneiro e o Jornal do Ônibus está excelente.
     Estou com os dois jornais sobre a mesa e bastante feliz por ter tido essa possibilidade logo pela manhã.
     Para o público que deseja uma imprensa gratuita e de boa qualidade, deixo o link:


Dizem que as críticas construtivas contribuem para o desenvolvimento da sociedade. Não creio que seja crítica, mas os temas e a variedade que constam dos dois jornais farão o leitor bem informado.
Bom dia para todos vocês. Durante o dia de hoje compartilharei essa boa notícia.


    


Um comentário:

Célia Rangel disse...

Obrigada, pela gentileza!
Distribuir fonte de conhecimento é o melhor caminho para formarmos opinião.
Abraço.