Loading...
Loading...

sábado, 11 de junho de 2016

Falo como Quem Precisa / Reflexão

Falo como Quem Precisa  / Reflexão


     É como se fosse o melhor que eu pudesse fazer por todos os leitores, uma necessidade premente da minha alma.
      Vocês sabiam que no início do desfile do mundialmente conhecido parque chamado Disneylândia há um cartaz?
     Transcrevo o cartaz:
      “Agradecemos ao plano Marshall que tornou possível esse sonho.”
     O plano Marshall foi o plano pós-guerra que visava à recuperação dos países atingidos pela guerra.
      Nós temos falta de uma ideia: Pense Grande.
     Toda recuperação econômica é baseada no consumo e visualiza o acesso aos confortos e comodidades pela grande maioria da população.
      Pensar grande não significa que tal grandiosidade só possa ser acessada pelos gigantes, ao contrário, é para que todos tenham acesso aos biscoitos supérfluos e à educação.
       Nós somos um país grande, não podemos pensar pequeno. Temos muito a crescer e exportar qualidade de vida para os países com os quais tratamos de comércio exterior.
     Pensar pequeno é pensar em trazer a pobreza dos países subdesenvolvidos para que dividam as suas mazelas conosco. Pensar grande é criar um país que possa exportar cultura e desenvolvimento para esses países.
     Durante as crises há a tendência de pensar pequeno, as decepções são tantas que não se consegue ver o que é possível ser feito.
     Outro dia estava numa loja e um freguês disse para o que é que ele iria comprar um produto de qualidade duvidosa se ele podia comprar um bem com garantia e certificado de fabricação de uma empresa estabelecida e coerente ao fazer o produto ao qual ela se propôs a fazer?
     Brasileiro como todos nós, expôs a sua filosofia de compras.
     _Eu compro um bom produto e a minha próxima compra será outro produto porque eu bem gastei na compra desse produto. O produto mais caro nem sempre é o melhor, mas a qualidade do produto pode ser compatível com o que eu espero do funcionamento desse produto. Agora, se eu compro um produto de pouca duração de uso, eu tenho que calcular o custo desse produto e verificar se vale a compra. Às vezes vale porque às vezes eu preciso de algo para durar dois ou três meses e não vou investir (gastar) muito em algo que eu logo deixarei de usar.
     Pensar grande é tarefa de pensar grande e projetar ao tempo necessário para a execução desse projeto, considerando uma porcentagem para aquilo que não será feito, o que será pouco, quando se considera um grande projeto.
     Estamos conversando de projetos e custos e mentalidades também.
     Pense grande e com respeito ao próximo. Sente-se numa mesa e projete os seus bons pensamentos. O bom pensamento gira à mesa e se constata que o que não é bom não está ali.
     Quando somente pensamos sobre os bons acontecimentos, o que muitas vezes é uma utopia. Nós verificamos as falhas nossas e procuramos nos corrigir baseados em compreensão mútua. Mas a questão aparece como um vaso de cristal no centro da mesa e brilha. Se todos nós somos inocentes, onde está o problema?
     É uma solução cristã com efeitos de centro espírita, todos são abençoados e nos sentimos gratos por esse momento.
     Vivemos num mundo onde é preciso tomar cuidado, mas com o quê? Certamente vocês sairão da mesa com uma permissão insólita e uma proibição inusitada. A mesa redonda decidiu e resolveu através dos bons pensamentos e dessa comunhão espiritual proposta com a delicadeza do espírito.
     Não podemos nos apequenar com os desafios, por mais difíceis que pareçam ser. Toda crise tende a apequenar os pensamentos e é preciso lutar contra essa diminuição dos melhores dos nossos propósitos de vida.
     Eu também sei que esse texto é de certa forma, muito inocente, porque outra frase me marcou profundamente:
     “Certamente a mocinha letrada pensa que as palavras e os textos resolverão os problemas sem a menor necessidade do uso da força sem conhecer a desgraça que esse tipo de pensamento pode ocasionar.”
     Acredito que existam lugares onde as palavras se esgotaram. Aqui no Brasil ainda não, aqui ainda é possível pensar grande e projetar o progresso, a diminuição da violência e as desculpas para as contradições são necessárias.
     Mas é preciso pensar grande e é preciso acreditar que o esforço individual para melhorar a própria vida faz sentido. Essa frase seria óbvia, mas há que se encarar com toda a garra essa vontade de deixar que a vida faça um sentido maior do que aquilo tudo que já tentamos e fracassamos ou vencemos ou, ainda: Conquistamos!
     Conquistamos os nossos dias todos os dias seja com ações, seja com orações, seja com sonhos, seja com o enfrentamento das nossas frustrações, os desafios são muitos e é aí que está a graça, é para isso que aqui estamos para acreditar que cada dia é possível dentro das nossas possibilidades.
     Assim, cabe-me escrever ao blog, ao outro, por certo, cabe outra tarefa e disposição, não mandamos exatamente em todas as nossas vontades, o que é celestial sob o meu ponto de vista.
     Os seus pontos de vista podem ser diferentes e podem ser bons, o importante é quer sejam bons os pensamentos, grandes os sonhos e vontade persistente e generosa para consigo mesmo não extrapolando os próprios limites definidos pelos acontecimentos além da nossa determinação.

     Um bom final de semana a todos.

Um comentário:

Célia Rangel disse...

Li e estou em reflexão diante de tanta diversidade que enfrentamos, muitas vezes na própria família.
Abraço.