Loading...
Loading...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Matando a Saudade

Matando a Saudadeclip_image002

 

Os velhos nas praças,

Nos bancos sentados,

Relembram pirraças.

Cavalos montados,

Correios e vidraças

Dos passeios passados.

 

Precisam das praças,

Dos jovens e dos dados.

Notícias e graças

De vida, contados

Por outros comparsas,

Iguais e abraçados.

 

Respiram desse ar;

Ao céu enamorados

E, cuidam das garças

Que passam aos lados.

Nos céus engendrados,

Divertem-se amados.

 

E voltam às casas

Alegres, cansados.

Felizes quais traças

De livros guardados

No fundo das caixas;

Papéis decorados.

25 comentários:

Marly Bastos in "palavreados ao vento" disse...

Nossa Yayá que doces saudades. Sentime saudosa também, daquela vida do interior, das praças no centro da cidade e dos passeios dos jovens a namorar e dos mais velhos contando causos e tantas vidas.
Beijokas e fica com Deus.

Simone MartinS2 disse...

"De livros guardados
No fundo das caixas;
Papéis decorados."

E bem da nossa idade ne, guardar livros em caixas como tesouros que ninguem pode mexer, sou assim, guardo os meus, mesmo que nao os leia mais...Bjin..amei a fala colocada em forma de poesia sobre os idosos...belo...

Severa Cabral(escritora) disse...

Vir aqui já é matar uma saudade...dentro dessa simplicidade que demontras na escrita...
Bjsssssssss

Wanderley Elian Lima disse...

Reviver momentos e lembranças, aquece o coração e faz bem pra vida.
Bjux

marlene edir severino disse...

Delicados, suaves, teus versos!

Voei daqui a imaginar tantos detalhes,
longe...

E nem saí detrás da vidraça.

Um beijo,Yayá!

Marlene

IDERVAL TENÓRIO/DRA VIRGINIA TENORIO disse...

Querida seria milagre uma explosão cultural no Brasil com esta política educacional, mas devemos aos poucos plantar estas sementes que diariamnte estamos colhendo do seu manancial Artes e Escritas, passo e repasso para os meus na esperança de que num futuro não muito distante esta explosão aconteça, aconteça e mostre aos viventes deste torrão que o SER é a razão e faz a diferença. Estou Matando a Saudade. Iderval Tenório

Andre Martin disse...

MUITO BOM!
Belo poema, leve e rimado,
bem conduzido e bem dosado.

Que saudade das praças,
que com estas graças
já não há em São Paulo.

Aliás, acabas de citar
um álibe perfeitamente aceitável
para desobedecer a um mandamento
sem cair em pecado:
NÃO MATARÁS,
mas matar saudades, pode!

M@ria disse...

Perdoa-me...
Mas hoje eu quero ouvir violinos.
Liberar meus pensamentos,
Na orla macia dos ventos!

Baroneto

Beijos e um belo amanhecer! M@ria

Esther disse...

obrigado pelos comentários Yayá. que poema:)
beijo

Marina-Emer disse...

preciosos tus versos yo leo muyb bien tu idioma pero no lo escribo bien ...
gracias por tu visita
besos Marina

Long Haired Lady disse...

lembranças em caixas, no coração, na alma...

Vivian disse...

Bom dia,Yayá!!

Que lindo!!!Adorei!!
*Os meus livros ficam na estante, espalhados pela casa...em todo o lugar!!rsrsr
Beijos pra ti!
Lindo dia!

Jorge disse...

Muito boa a poesia!
Jorge (blog: erguersegil.blogspot.com)

Aclim disse...

Privilégio de poucos, brincar com as lembranças do passado. Os jovens já as querem esquecer.

Bjx

Célia disse...

Quanto brinquei em praças... Fase linda em minha vida... até aulas dei na Pr. da República em Sampa - Instituto de Ed. Caetano de Campos. Tenho DNA de praça & coreto. Hoje moro em uma cidade onde há muitas praças... mas quase todas muito mal cuidadas! Infelizmente! Belo poema! Valeu!
[ ] Célia.

Natalia Campos disse...

Adorei. Você sempre encantando com suas palavras. Escreves muito bem mesmo. Beijos. Au revoir.

нєllєи Cαяoliиє disse...

"De livros guardados
No fundo das caixas;
Papéis decorados."
Eu sou assim também,guardo os que tenho como se fossem tesouros!rs
Linda poesia!
Beijos

Janaina Cruz disse...

Saudade parece mesmo com um senhor sentado, num lugar reservado, com um olhar vago, vago, vago...

Vinicius.C disse...

Olá!!

Depois de algum tempo ausente, venho matar a minha saudade!

Um beijo enorme e uma ótima tarde!

Espero por vc no Alma!

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa tarde amiga, vim agradecer a voce por sua linda presença no meu cantinho e fazer parte dos meus 200 seguidores! Venha pegar o selinho dos 200 seguidores que eu fiz com muito carinho. Tenha um lindo dia
Abraço amigo!
Maria Alice

Isabel Furini disse...

Belo poema - saudade e sensibilidade.
Isabel Furini

Evanir disse...

Querida Amiga.
Finalizei lendo seu poema chorando
movida por saudades e emoções jamais esquecida.
Tem dia que estou sensivel demais.
Um beijo no coração ,Evanir.

Lídia Borges disse...

Muito bonito realço o ritmo vivo e melódico.

L.B.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Lindo quadro pintado pelas suas palavras.
Um abraço
oa.s

Rebecca disse...

hola Artes,
algo importante fue que regresan felices a su hogar,los jóvenes enamorados después de un paseo agradable.

Muy hermosa tu poesía

un abrazo^^