Loading...
Loading...

domingo, 7 de agosto de 2016

Pensamentos do Antonio

– A difícil comunicação.
 Antonio Soares Portugal Junior
Curitiba, 07/08/2016

Talvez a maior dificuldade seja escrever um texto para quem não quer entender.
Mas, tentar-se-á colocar alguns entendimentos que se faz necessário hoje.
Estes não são originais, tem referencial em Raffaele de Giorgi, mas não referendado por ele.

Com a queda do antigo regime, leia-se o absolutismo francês, intensificou-se no meio político uma disputa de modelo do exercício do controle social.

Não se questiona a predecessora revolução americana, com sua guerra de independência, que é irmã do processo revolucionário francês.

Há de se observar que existem vários pontos em comum nos dois processos, mas por estarem em universos culturais diferentes a cada processo foi dado estruturação e respostas próprias (não tanto).

Contudo, a sociedade tem de se manter estruturada, sendo intrínseco dela criar um modelo onde ela permaneça existindo, e, para tal se distinguindo do mundo, onde há o ser humano.

Não se pretende dizer que o correto é que a sociedade procure se manter estruturada, está se dizendo que a sociedade vai se estruturar de forma a permanecer existindo, independentemente do ser humano, ser humano que a sustenta e a dissolve.

Há uma série de reflexos disso, pois a sociedade tem vários mecanismos nessa estruturação.

Pode-se dizer que os três mecanismos principais e fundantes da sociedade são o político, o jurídico e o econômico.

Esses mecanismos tendem a funcionar como modelos fechados, contudo trocam informações e se modificam com o fim último de manterem a sociedade onde eles estão inseridos.

Então o direito tem função específica, solucionar conflitos. Não se trata de qualquer conflito, mas conflitos que a sociedade entende que são desestruturantes.

O econômico visa a estabelecer processos de manutenção e progresso material, pois sem ter uma economia saudável a estrutura chamada sociedade tende à entropia.

Já a política tem a função de estruturar o direito, enquanto é estruturada por ele, e, regulamentar a economia através de leis (direito) enquanto observa as consequências e necessidades de sua funcionalidade, posto que também a política é estruturada pela economia.

De forma simples, assim se estrutura a sociedade.

E onde entram o liberalismo, o capitalismo e o socialismo com suas variantes?

São teorias político-econômicas, talvez, com reflexos na estruturação da sociedade.

Esses modelos das teorias político-econômicas, ao contrário do que muitos deles pregam, não visam a ruptura com a sociedade, mas a estruturação do poder dentro da sociedade segundo seus ideais.

Como princípio, se coloca o posicionamento do Papa Bento XVI (16) de que qualquer ideologia político-econômica que preveja o paraíso na terra é uma abominação, eis que os sistemas sempre serão falhos e não cabe a perfeição no mundo em que está inserido o ser humano. Como corolário isso importa em um Estado laico.


Nenhum comentário: