Loading...
Loading...

sábado, 22 de outubro de 2011

Inverno

Invernoclip_image002

As pantufas aquecem os pés num abraço

De tapete macio, que desfia num divã;

Nesse andar devagar e sem pressa, ao descaso

Descalço nesse amor à lareira pagã.

A nudez aquecida ao calor do embaraço,

Quando brilha à lareira, no sol da manhã,

Ilumina, mas gela e trepida no acaso

Do agasalho de braços cruzados na lã.

Um retiro composto à vontade dos tempos,

Prevenindo a nevasca ao distante rumar

Dos alísios, sedentos de impróprios assentos.

O calor que convença, ao correr nos cimentos,

Que o cercado de terra protege o luar

Da neblina, que a cobre de vestes e intentos.

16 comentários:

Luks Vieira disse...

Eta consequências maravilohsas, a parte ruim está apenas nos irmãos que não tem onde se aquecer...
Att.,
Luks

Paulo Francisco disse...

Putz! e aqui tá frioooooo.
Um beijo grande

CLEUSA KLEIN disse...

È uma delicia sentir as pantufas quentinhas nos pés... dentro de casa eu não largo as minhas....bjos

quanto pesa o vento? disse...

renova-se... a roda da vida.

obrigado pela visita.
voltarei.
abraço.

Duarte disse...

Por aqui os calores perenes, mesmo no outono.
Assim de singela esta natureza.
Gostei dos terus dizeres.
Un grande abraço

Célia disse...

O pior inverno é o da alma!! Abraço, Célia.

Maria disse...

Amiga que de hino encantador ao inverno.
Bom domingo e uma excelente semana.
Beijinhos
Maria

Bergilde disse...

Oi Yayá!
Retornando aos poucos ao blogspot venho por aqui também te agradecer pelo carinho e palavras lá nos registros dos meus filhos.
Inverno nessa perspectiva poética é gostoso demais,embora concretamente eu ainda não tenha conseguído me acostumar aos graus negativos que nesse período costumam chegar por aqui.

Pelos caminhos da vida. disse...

Inverno é uma das minhas estações preferidas a outra estou vivendo agora: primavera.

Uma boa semana!.

beijooo.

IDERVAL TENÓRIO/DRA VIRGINIA TENORIO disse...

Mestra,mais uma vez a Serra do Araripe vem na minha mente,férias escolares: chuva,sapo,vento,nuvens e borboletas/frio e frios, café com leite,redes e lenções. Eram assim as noites frias na Chapada do Araripe(CEARA-PERNAMBUCO), durante o dia pouco sol,muita chuva,vento outra vez,nuvens cinzas carregadas de água eras os sorrisos em pessoa nos rostos dos nordestinos sofridos.
Leite quente,ovos estrelados,queijos de coalhos e de manteiga,beiju de goma de mandioca,macaxeiras ou aipim cozidos e muita manteiga,assim se enchiam os buchos do Nordeste.
As pantufas querida mestra eram desconhecidas naquelas plagas, só apreciadas pelas madames do Juazeiro do Norte , Crato e Barbalha adquiridas nos mercados sofisticados de Fortaleza, as nossas eram meias grossas,muitas delas meiões aflanelados imitando os meiões dos jogadores de futebol.Uns usavam meiões do Vasco,alguns do flamengo,do Botafogo e do Fluminense,O RÁDIO ERA A MÍDIA PRINCIPAL E O RIO DE JANEIRO ERA O BRASIL DO FUTURO,EXEMPLO MAIOR AS ORIGENS DOS MEIÕES COM OS BRASÕES DOS ESCRETES CARIOCAS.

Parabens,poesia é cultura.
ACESEE O BLOG
http://www.iderval.bogspot.com

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom domingo!
Inverno frio esse da alma né!
bjssssssssss

Paulo Sotter disse...

Lindo poema, trouxe a paisagem do inverno, que embora seja cáustica, é bonita na sua beleza peculiar. Parabéns pelo texto. Um abraço

Van disse...

Aqui está gelado. Primavera gelada!

Beijos Yayá!

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Adoro o Inverno! Pena que, para "tê-lo", preciso "voar" para outras plagas...Já experimentei, alguns...

Bela descrição, dessa gostosa Estação, Yayá...Valeu!!!

Beijos,
da Lúcia

Paulo Tamburro disse...

Eu prometo a você que ainda, um dia serei capaz de fazer poesias como as suas.

Falta pouco, na verdade só me falta competência.

Só isso! (rs)

Um abração carioca.

OceanoAzul.Sonhos disse...

Bonita forma de escrever Inverno, com calor em palavras.

bjs
oa.s