Loading...
Loading...

sexta-feira, 24 de maio de 2013

Comédia de Erros

Comédia de Erros

clip_image002

Joaquim foi com Manoel à casa de Maria. Joaquim foi à casa de Maria porque pensou que ela fosse doidivana.

Manoel conhecia Maria e sabia dos seus hábitos e costumes. Permitiu que Joaquim fosse à casa de Maria para verificar a veracidade dos comentários e tirar as suas próprias conclusões.

Manoel daria carona para Maria até o armazém.

Joaquim aceitou o convite de Manoel porque queria convencê-lo das extravagâncias de Maria. Para tanto, utilizou um estratagema:

_Amigo Manoel, vamos pegá-la antes que o armazém abra as portas.

Manoel concordou e às sete e trinta da manhã se dirigiram até a casa dela. Bateram na porta e a Maria, ansiosa que estava para ir ao armazém de automóvel, estava pronta para sair desde às sete da manhã..

Joaquim vira-se para Manoel e diz:

_Como foi que perdemos de vê-la de camisola e penhoar?

Manoel pediu que Joaquim se calasse. Era falta de respeito para com a amiga Maria.

Joaquim não se deu por enganado e pediu um copo com água para Maria. Disse que se esquecera de tomar água ao acordar.

Maria convida Manoel e Joaquim para irem até a cozinha, era cedo ainda para ir ao armazém. Na cozinha ela serve o copo de água para Joaquim.

Este se vira para Manoel e diz:

_Manoel, você se lembra da criação de porcos do José?

O amigo, entendendo a indireta disse que se lembrava.

_Ele faliu. Não existem mais porcos de criação na fazenda dele.

Maria observou a cozinha limpa e arrumada. Desconfiada, passou a ouvir com cuidados a conversa deles.

Estava na hora de saírem e entraram no automóvel.

Joaquim fala de um partido político para Maria e aguardou o seu comentário.

Maria, entendendo a indireta, disse que não gostava do tal partido.

Joaquim exclamou para Manoel:

_Agora estou órfão. Todas as minhas referências se foram.

Manoel ria até não poder mais. Continuou a conversa sem ser claro e piscando ao amigo:

_Amigo Joaquim, Em que oficina mecânica você conserta o seu veículo?

Joaquim respondeu que era na oficina do Agostinho e do Agnaldo. Elogiando os mecânicos, Joaquim contava quem eles eram para Maria, sem o saber que fazia.

Chegaram ao armazém e Manoel ofereceu-se para levá-la para casa.

Maria, que depois da carona, sabia mais do que gostaria, pois nem sempre se deseja saber o que os conhecidos pensam e ainda mais que foi sobre ela própria, agradeceu a gentileza e disse que numa próxima oportunidade, aceitaria o convite. Agradecia mais que a carona, agradecia a confiança que Manoel tinha nela.

O automóvel partiu com Joaquim decepcionado. Ela não era quem ele pensava que fosse.

Manoel, feliz, porque Maria era do jeito que ele conhecia.

6 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Um texto bonito sobre personagens nossas contemporâneas.
Jogos que se tecem em palavras indirectas.
Por vezes é bom saber o que os outros pensam a nosso respeito e superar todas as suas expectativas.

"Nem tudo o qu.e brilha é ouro..." ditado popular

Ingrid disse...

tenha um ótimo final de semana..
beijos.

Jossara Bes disse...

Oi Yayá,

E ai de quem pensa que conhece o outro ao ponto de faze-lo mudar atitudes!
Beijos! Bom fim de semana!

Célia Rangel disse...

O humano é uma incógnita mesmo...
Bj. Célia.

La Gata Coqueta disse...



Que cada día de tu vida sea más bello que el anterior
y que nunca te falte la ilusión de un nuevo amanecer.

Feliz despertar a este domingo vestido de cielo, calzado
de simpatía, mientras es peinado con hilos de madreselvas...

Un breve abrazo,
adueñado del sentimiento.

Atte.
María Del Carmen



Rita disse...

Bom dia!!!!
É vendo e aprendenddo, a confiar
ver com os próprios olhos
Abraços carinhosos
Bjuss
Rita!!!