Loading...
Loading...

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Bicho Grilo

Bicho Grilo

clip_image002

Tem dias que gostaria de ser cachorro,

E obter a dura casca do besouro,

Poetar qualquer pensar de papagaios,

Podar os galhos, corsa para-raios;

 

Não quero ser galinha a botar ovo,

Nem pato em grande estilo, generoso;

Distante das abelhas e seus pátios

De mel frutificado sem ensaios;

 

Queria ser bicho simples, mas teimoso,

Caráter desumano e delicioso;

Na aurora de complexo giz em raios,

Saber menos, assim, sem grilos vários.

10 comentários:

Luiz Alfredo disse...

Este poema me deixou
grilado
me lembrou aquele livro
marcante:A metamorfose de Kafka
mas seu poema é belo
e tem uma chave mui bela
queres ser um grilo para cantar intermitente
ser um grilo cantante
afinal
se ouvirmos bem
suas canções não são monótonas
possuem vários acordes
sempre gostei muito deles
e das cigarras
poema mui lindo poeta

Luiz Alfredo - poeta

Eloah disse...

É..temos dias assim, que gostaríamos de ter a cabeça leve, sem grilos.Gostei, amiga.Bjs Eloah

Bergilde disse...

Tenho passado dias mais ou menos assim...Yayá,abraço fraterno voltando aos poucos por aqui!

Mona Lisa disse...

Como gostava de ser assim...menos ansiosa...sem "grilos"!

Adorei o poema!

Beijos.

MARIA DA FONTE disse...


Viver mais leve, mas sempre com uma personalidade determinada. Interessante.beijos

Jopz_B1B disse...

;-)

DIVERTIDÍSSIMO!

Jossara Bes disse...

Oi, Yayá!

Que belo poema!
Grilo cantante,
Grilo falante
Bicho grilo...
Beijos!

Mariangela disse...

Como é bom poder levar a vida com mais leveza, sem tantos grilos, mas
tem hora que isso é meio impossível!
Adorei seu blog!
Abraço,
Mariangela

Lia Noronha disse...

tem mesmo esse dia.que queríamos ser qualquer coisa..menos nós mesmos....abraçosss

denise dutra disse...

ah, como seria bom ser somente um SER !